-->

Após redução de 7 voos diários para 4 semanais no Amapá, Procon aciona empresas aéreas

28 Março 2020

Instituto de Defesa do Consumidor apontou decisão como 'irresponsabilidade'. Malha aérea em todo o país foi reduzida em 91% em função da crise do coronavírus. Procon autuou empresas aéreas
em diligência no aeroporto de Macapá Procon/Redes Sociais Após reclamações de passageiros ilhados e temor das agências de viagens e do ramo hoteleiro sobre o anúncio de suspensão e redução de voos para o Amapá, o Instituto de Defesa do Consumidor (Procon) autuou neste sábado (28) as três empresas que atuam no estado. O órgão informou ainda que está formalizando uma ação judicial contra uma delas a Azul, que suspendeu totalmente pousos e decolagens no Amapá até o fim de abril. A redução na malha aérea envolve as três maiores empresas aéreas do país, que iniciaram neste sábado uma série de ajustes nas viagens nacionais por conta do impacto do novo coronavírus; Até o momento, a situação é a redução de 7 voos diários para 4 voos semanais: a Azul suspendeu todas as viagens até maio; a Gol realizará apenas 1 voo por semana chegando e partindo de Macapá; e a Latam oferecerá 3 viagens semanais em dias intercalados. Guichês vazios da companhia aérea Azul no aeroporto de Macapá Suzy Gonçalves/Arquivo Pessoal De acordo com o presidente do Procon, Eliton Franco, suspender as viagens é uma "violação grave do código do consumidor". Ele afirmou que todas foram autuadas e deverão pagar multas, mas somente a Azul deverá responder judicialmente por conta da suspensão total do serviço. "Ninguém foi informado sobre, nem o consumidor e nem o Procon que tem uma rede direta de diálogo com essas empresas. Antes de todos os decretos, chamei as 3 empresas para uma reunião para definir justamente como ficariam os serviços e nenhuma apareceu", completou. Franco ponderou que a redução é compreensível, mas a suspensão, segundo ele, é uma "irresponsabilidade", visto que as empresas também realizam transporte de cargas e produtos considerados essenciais. O aposentado Tarcísio Barros, de 67 anos, relatou que está tratando câncer no pulmão e no cérebro e precisa ir a cada 15 dias para Belém, onde faz quimioterapia. Ele disse que está preocupado por ele e outros pacientes terem o tratamento interrompido. "Eu só consegui passagem para maio, eu não posso pedir para o meu câncer esperar. Eu e todos os pacientes que tratam doenças fora do estado precisamos. A única alternativa agora é ir para Brasília, depois Belém, aumentando muito o risco de contaminação", lamentou. Confira a justificativa das empresas sobre a redução e cancelamento dos voos para o Amapá: Azul: Em nota, companhia informou que todos os voos para Macapá estão suspensos até 30 de abril devido ações de contenção à Covid-19. Passageiros com viagens domésticas podem remarcar voos e pedir reembolso através dos canais digitais de atendimento. Gol: A empresa reduziu as viagens para Macapá em apenas um voo semanal de ida e volta para Brasília. Confira os horários: Macapá-Brasília - sextas-feiras, saída 01:50 e chegada 04:40 Brasília-Macapá - quintas-feiras, saída 22:35 e chegada 01:20 Latam: A orientação sobre atrasos e cancelamentos é procurar os canais digitais de atendimento. A empresa não divulgou os horários e dias de partidas e decolagens durante o mês de abril. Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree