-->

Soltura de 5,2 mil quelônios da Amazônia em lago do AP é antecipada devido pandemia

29 Março 2020

Monitoramento de filhotes desde a desova garante perpetuação da espécie de quelônio em Pracuúba. Soltura aconteceu sem participação de público no sábado (28). Soltura de mais de 5 mil
quelônios da Amazônia é antecipada no Amapá devido pandemia Mais de 5,2 mil filhotes de quelônios da Amazônia, espécie popularmente chamada de tracajá, foram soltos no sábado (28) na maior região de lagos do Amapá, no município de Pracuúba, a 256 quilômetros de Macapá. A soltura foi autorizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Tradicionalmente acompanhada por populares, a soltura foi antecipada em 3 meses devido a pandemia do novo coronavírus. 2019: Monitorados desde a desova, cerca de 5 mil filhotes de tracajá são soltos em lago no AP Soltura ocorreu no sábado (28), em Pracuúba Thame Peixoto/Rurap O processo é feito através do Programa Quelônios da Amazônia, do Ibama, que tem como apoiador o morador Mário Vaz. A soltura também foi feita com participação de agentes da Polícia Militar, Polícia Civil e Instituto de Desenvolvimento Rural do Amapá (Rurap). Mário Vaz, apoiador do programa, junto a filhotes de quelônios que ajudou no manejo Thame Peixoto/Rurap Os filhotes foram acompanhados desde a desova. De acordo com Thame Peixoto, zootecnista do Rurap, foram coletados 6 mil ovos, que foram cuidados pela família de Mário Vaz. O manejo e proteção dos filhotes aconteceu até sábado, onde houve a soltura no berçário natural. O local fica na Ilha da Ponta Baixa, dentro do Retiro São Tiago, em Pracuúba. A ilha é cercada pelo chamado Lago Cumprido, onde também é a casa dos tracajás. A coleta dos ovos ocorre sempre no mês agosto e os ninhos são montados em um espaço chamado de chocadeira. Cada buraco tem cerca de 30 ovos, em média. E 65 dias depois da desova, nascem os primeiros filhotes. Delegado César Vieira (de boné), da Polícia Civil, policiais militares e servidores do Rurap acompanharam soltura Thame Peixoto/Rurap Geralmente a soltura acontece no mês de junho, acompanhada por populares da região. No entanto, devido as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para evitar aglomerações, o evento foi antecipado e feito de maneira restrita, sendo acompanhado somente pela família responsável pelo manejo e por representantes de órgãos ambientais. Quelônios são acompanhados desde a desova Thame Peixoto/Rurap Quando foi criado o programa do Ibama, há 40 anos, a espécie estava desaparecendo dos lagos de Pracuúba, e na lista de quelônios em extinção. De lá pra cá mais de 150 mil filhotes ganharam a chance de tentar a vida no ambiente natural. Em 2019, moradores da região tradicionalmente acompanharam soltura no lago Reprodução/Rede Amazônica Filhotes foram acompanhados desde a desova e soltos na maior região de lagos do Amapá Reprodução/Rede Amazônica Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree