-->

Registros de violência contra mulher no Amapá reduzem quase 50% durante isolamento social

04 Abril 2020

Polícia Civil deve fazer novo levantamento após quarentena para saber se houve subnotificação. Violência contra a mulher aumentou em 2019, principalmente em Macapá e Santana - Amapá Rede
Amazônica/Reprodução A Polícia Civil do Amapá registrou redução de 144 casos de violência contra mulher durante o mês de março na comparação entre o período de antes e durante o isolamento social determinado por decreto do governo estadual e municipais. Ao todo, foram 303 casos no período anterior aos decretos e 159 após as medidas de prevenção contra o novo coronavírus. A baixa é de cerca de 50%, segundo a corporação. No entanto, essa redução não é considerada como certa visto que após a quarentena um novo levantamento deve ser feito para saber se houve ou não subnotificação dos casos, como explica o delegado Edmilson Ferreira, da Delegacia Geral. "Eu acho que ainda é muito cedo para a gente fazer um levantamento sobre a subnotificação tendo em vista que a quarentena está muto recente no estado, diferente de outros países que já passaram por um período de quarentena maior e refletiu nos casos de violência doméstica", informou Ferreira. Delegacia de Crimes Contra Mulher (DCCM) de Macapá Danillo Borralho/Rede Amazônica Os dados de antes da publicação dos decretos abrange o período de 8 de março ao dia 19 do mês. Do dia 20 a 31 de março já é considerado período de isolamento social. Veja os dados abaixo: Delegacia de Crimes Contra Mulher (DCCM) de Macapá Antes da publicação dos decretos: 201 ocorrências encaminhadas Após publicação dos decretos: 105 ocorrências encaminhadas Delegacia de Crimes Contra Mulher (DCCM) de Santana Antes da publicação dos decretos: 73 ocorrências encaminhadas Após publicação dos decretos: 34 ocorrências encaminhadas Delegacia de Crimes Contra Mulher (DCCM) de Laranjal do Jari Antes da publicação dos decretos: 29 ocorrências encaminhadas Após publicação dos decretos: 20 ocorrências encaminhadas Ferreira, que é delegado titular da DCCM de Santana, ainda esclarece quais tipos de casos podem ser registrados atráves da internet e os que precisam que a vítima se dirija até a delegacia. "Pode ser feito o registro de ocorrência online apenas em crimes formais que são ameaça, crimes contra honra, injúria, difamação, calúnia. Agora crimes materiais como lesão corporal e danos é necessário que a vítima compareça na delegacia para que as medidas formais sejam tomadas", explicou o delegado. Mesmo em período de isolamento social, a Polícia Civil continua investigando ocorrências de violência contra mulher. Os telefones 180 e 190 estão à disposição da população para qualquer denúncia relacionada a esse tipo de crime. Delegado Edmilson Ferreira, titular da DCCM de Santana Victor Vidigal/G1 Para ler mais notícias do estado, acesse o G1 Amapá.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree