Imprimir esta página
-->

Lei sancionada no Amapá combate corrupção, organizações criminosas e crimes cibernéticos

14 Agosto 2020

Texto restrutura Polícia Civil, com criação de divisões e delegacia específica para crimes cometidos na internet. Uma das novidades é a criação da Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos
Victor Vidigal/G1 Uma lei, sancionada pelo governo e publicada no Diário Oficial do Estado na quinta-feira (13), fortalece no Amapá as investigações contra crimes de corrupção, organizações criminosas e crimes cibernéticos. VEJA A ÍNTEGRA DA LEI PUBLICADA NO DOE DO DIA 13/08/2020 A legislação reestrutura a Polícia Civil, com: criação da Coordenadoria Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Ceccor), composta por 3 divisões específicas: de Repressão à Corrupção (Decor), de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), e do Laboratório Contra Lavagem de Dinheiro; criação da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core); instalação da Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DR-CCIBER); extinção da Delegacia Especializada de Crimes contra a Fazenda Pública (Defp). Nesta sexta-feira (14), o governo reuniu a imprensa para explicar as mudanças. “Fortalecer práticas e criar estruturas de controle, de transparência, de repressão e combate ao crime organizado, à corrupção, e principalmente inibir todas as possibilidades de ilícitos no setor público e no setor privado deve ser prioridade, e é, da sociedade, do governo e do país. Para isso nós reestruturamos a Polícia Civil”, declarou o governador do Amapá, Waldez Góes. O secretário de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), coronel Carlos Souza, detalhou que as novas organizações vão atuar com foco em um trabalho de inteligência. A pasta identificou 7 organizações criminosas instaladas no Amapá: 3 nacionais e 4 originadas no estado. “Essa delegacia de combate ao crime organizado vai interagir tanto com o Judiciário, Ministério Público, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal para que nós possamos, efetivamente, mostrar para esses criminosos que no Amapá esse combate será muito mais intenso, para trazer tranquilidade. Nós temos que levar em consideração que grande parte dos homicídios ocorridos e de roubos cometidos fazem parte desse crime que se organiza a cada dia no Amapá”, ressaltou Souza. De acordo com a Polícia Civil, a DR-CCIBER já foi instalada, e funciona no mesmo prédio da Defelacia-Geral. Com a extinção da Defp, os inquéritos e demais procedimentos foram redistribuídos às divisões da Ceccor. Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree