-->

Peixe-boi achado debilitado tem boas chances de sobreviver, mas precisa de cuidados por 2 anos

15 Setembro 2020

Filhote foi encontrado no Arquipélago do Bailique e foi levado nesta terça-feira (15) para o Bioparque da Amazônia, após autorização do MP. Filhote de peixe-boi foi resgatado no Bailique Batalhão
Ambiental/Divulgação O Bioparque da Amazônia, localizado na Zona Sul de Macapá, recebeu nesta terça-feira (15) o filhote de peixe-boi resgatado no domingo (13), no arquipélago do Bailique, distrito da capital. O animal foi batizado de "Buriti", se recupera bem, mas deve ser cuidado por, no mínimo, 2 anos pela fundação, até poder ser solto no habitat natural novamente. O acolhimento no parque foi uma exceção aberta pelo Ministério Público do Amapá (MP-AP), que havia recomendado na semana passada que o Bioparque deixasse de receber animais silvestres resgatados. Para o órgão, o espaço não tem espaços adequados para animais. Peixe-boi resgatado debilitado em arquipélago no Amapá recebe ajuda de voluntários para sobreviver Batalhão Ambiental/Divulgação A destinação de "Buriti" chegou a depender de instituições de outros estados, já que no Amapá o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) não recebe animais há 2 anos por falta de veterinário, segundo o Batalhão Ambiental. O G1 entrou em contato com o MP-AP e o Ibama para solicitar esclarecimentos quanto ao "passo atrás" na decisão e à falta de veterinário no Cetas e, até a última atualização desta reportagem, não houve retorno de ambos os órgãos. De acordo com Marina Bezerra, veterinária do Bioparque, o animal chegou com algumas escoriações, os olhos inflamados e um problema intestinal. Ela destacou que o "peixinho" é monitorado 24 horas por dia. "Acreditamos que, por ele ter recebido leite integral na comunidade ribeirinha, isso fez um pouco mal para ele, pois a dieta dele deve ser feita com leite sem lactose. Ele ainda é um bebê recém-nascido, pois vemos o traço do cordão umbilical na barriga dele", detalhou. Peixe-boi foi resgatado debilitado Batalhão Ambiental/Divulgação Danielle Lima, bióloga do Instituto Mamirauá, voluntária no tratamento do animal, contou que a recuperação de "Buriti" está progredindo satisfatoriamente e que as chances dele sobreviver são altas. Ela falou que o animal só deixa de mamar aos 2 anos de idade. Por enquanto, ele foi colocado em uma pequena piscina, mas o espaço deve ser adaptado de acordo com o crescimento do filhote. "Na medida em que eles vão crescendo, nós vamos realocando para piscinas maiores, onde nós fazemos a readaptação com leite e vegetais, para que eles possam estar preparados a voltar para a natureza", esclareceu Danielle. Filhote foi levado para sede do Batalhão Ambiental Batalhão Ambiental/Divulgação Resgate Um grupo de ribeirinhos, voluntários especializados e servidores de instituições de meio ambiente resgataram e cuidaram do filhote de peixe-boi encontrado bastante debilitado no Arquipélago do Bailique. A situação do animal preocupou, principalmente por ser uma espécie ameaçada de extinção. O filhote foi encontrado por um pescador numa comunidade ribeirinha chamada Buritizal, que integra o arquipélago, e por isso, o nome dado ao filhote. Peixe-boi foi transferido em embarcação para Santana Batalhão Ambiental/Divulgação O animal foi transferido de embarcação e acolhido na sede do Batalhão Ambiental da Polícia Militar (PM) do Amapá, em Santana, a 17 quilômetros de Macapá, para receber atendimento especializado, onde ficou até o início da manhã desta terça-feira. Profissionais coletam informações sobre o animal Batalhão Ambiental/Divulgação Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree