-->

China fará ‘lavagem de dinheiro’ para conter avanço do coronavírus

17 Fevereiro 2020
Notas de yuan serão desinfetadas e até incineradas em áreas de maior infecção pelo coronavírus. ─ Foto: Bloomberg

HONG KONG – Enquanto a epidemia de coronavírus continua atingindo a China,

o Banco Popular da China implementou uma nova estratégia para conter o vírus: uma verdadeira lavagem de dinheiro e, em alguns casos, até destruição das cédulas potencialmente infectadas.

As novas medidas, anunciadas pelo banco central chinês no sábado, visam a conter a propagação do vírus, oficialmente conhecido como Covid-19.

Ainda há muitos pontos desconhecidos sobre o vírus, que já infectou mais de 71 mil pessoas em todo o mundo e matou 1.775, a maioria na China – mas parece sobreviver por pelo menos várias horas nas superfícies, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Justamente por este motivo é que edifícios nas áreas afetadas desinfetam regularmente botões de elevador, maçanetas de portas e outras superfícies comumente tocadas.

Pela mesma razão, o governo chinês resolveu desinfetar as notas, que apesar de serem cada vez menos usadas no país, ainda passam de mão a mão várias vezes por dia.

De acordo com a CNN, todos os bancos chineses agora precisam literalmente lavar seu dinheiro, desinfetá-lo com luz ultravioleta e altas temperaturas e armazená-lo por sete a 14 dias antes de liberá-lo para os clientes.

O dinheiro proveniente de áreas de infecção de alto risco, como hospitais e mercados, será “especialmente tratado” e devolvido ao banco central ao invés de recircular.

Já na agência do banco central de Guangzhou, as notas de alto risco podem ser destruídas em vez de apenas desinfetadas, de acordo com o tablóide estatal Global Times.

Emissão de novas notas

Para compensar o recolhimento das notas, o banco emitirá grandes quantidades de dinheiro novo e não infectado. Em janeiro, o banco enviou 4 bilhões de yuans (cerca de US$ 573,5 milhões) em novas notas a Wuhan, a cidade chinesa epicentro do coronavírus, disse o comunicado de imprensa do governo.

Outras medidas incluem a suspensão de transferências físicas de dinheiro entre as províncias mais afetadas, para limitar a possibilidade de transmissão do vírus durante o trânsito do dinheiro.

Não está claro como o dinheiro pode realmente ser “infectado”, já que o vírus provavelmente morre após algumas horas nas superfícies, especialmente se tiver sido morto com desinfetante. E a maioria das pessoas nos centros urbanos não usa dinheiro de qualquer maneira – os aplicativos de pagamento móvel são lagamente utiilizados. onipresentes.

Estudos anteriores mostram como o dinheiro é sujo: cada nota, passada de pessoa para pessoa, mostra um pouco do ambiente de onde ela vem. A lista de coisas encontradas nas notas inclui o DNA de animais de estimação, traços de drogas, bactérias e vírus, de acordo com um estudo realizado há cerca de três anos em Nova York.

No entanto, nada prova que o dinheiro represente um risco para a saúde: a transmissão de doenças ligada ao dinheiro é rara e nenhum grande surto de doenças foi iniciado em caixas eletrônicos, por exemplo. Mas com novos casos sendo relatados todos os dias na China, as autoridades do país não se arriscam.

Fonte: AGÊNCIA GLOBO

Comentarios


Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree