-->

Com Lula livre, tradicional polarização PT-DEM deve marcar disputa em Salvador

18 Novembro 2019
Esperança da esquerda é que Lula, agora solto, ajude a construir uma candidatura forte em Salvador | Foto: Gilberto Junior | Ag. A Tarde

Solto após 580 dias na carceragem da

superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva volta às ruas com a promessa de pacificar o país e apontar caminhos para reorganização da esquerda brasileira. A estas missões, no mínimo ambiciosas, junta-se a esperança de que o petista ajude a levar o partido a um feito inédito: governar a prefeitura de Salvador.

A reinserção de Lula no debate político corpo a corpo reforça a estratégia de lançar candidato próprio nas eleições de 2020 e retoma a tradicional polarização PT-DEM na capital baiana, na avaliação de representantes dos dois lados ouvidos por A TARDE.

O ex-presidente tem dito a aliados que o PT precisa ter candidato próprio na maior quantidade de capitais. Para o presidente estadual da sigla, Everaldo Anunciação, Lula livre cria um ambiente favorável para os partidos de esquerda. “Hora de Salvador fazer justiça com o PT [elegendo um petista]”, reivindica Everaldo.

A avaliação interna aponta que o partido errou ao não lançar candidato em 2016 e apoiar Alice Portugal (PCdoB), derrotada por Neto. Fontes da legenda ouvidas pela reportagem, em condição de anonimato, também ponderaram que o partido não deve nacionalizar demais o debate em 2020 e precisa centrar a campanha em temas da cidade. “Aquele negócio de “vote no time de Lula e Dilma” é arrogante”, defende um dirigente.

Fator Bellintani

Em meio às discussões sobre candidatura própria, o PT precisará pacificar suas várias correntes, que possuem entendimentos diferentes. Três são majoritários: o de que a legenda precisa lançar um petista histórico, o de que o nome precisa ser de um negro e o de que pode se importar alguém de fora para disputar pelo PT.

Neste último grupo, a avaliação é de que os seis pré-candidatos até agora colocados (Vilma Reis, Nelson Pelegrino, Jorge Solla, Moisés Rocha, Robinson Almeida e Valmir Assunção) não teriam musculatura suficiente para vencer o pleito. Para esta ala, uma solução seria filiar o presidente do Esporte Clube Bahia, Guilherme Bellintani, considerado como o único capaz de bater aquele que virá a ser o escolhido de ACM Neto.

No entanto, o dirigente tricolor está em negociações avançadas com o PSB, presidido na Bahia por Lídice da Mata. Neste caso, dirigentes da sigla não descartam indicar o vice em uma eventual chapa de Bellintani, caso ele resolva se filiar ao outro partido. Mas um nome da alta cúpula petista alerta: sua estratégia eleitoral não pode estar tão atrelada ao sucesso do Bahia nos campos, e ele precisa se voltar ao campo político para construir alianças. “Não espere que o governador dê a prefeitura de mão beijada para ele”, aconselha.

ACM Neto

No grupo do atual prefeito, os caminhos levam a Bruno Reis (DEM). A expectativa é de que Neto anuncie o vice como candidato a sua sucessão em dezembro.

Questionado sobre o assunto, Bruno, que também é secretário municipal de Infraestrutura e Obras Públicas, diz estar focado em gestão. Mas deixa claro seu interesse em ser o escolhido do prefeito. E garante: “Terei condições de conversar com todos e construir uma aliança maior do que aquela que reelegeu o prefeito ACM Neto na última eleição”.

No grupo próximo ao vice e secretário, a análise é de que a estratégia da base de Rui Costa de lançar várias candidaturas pode pulverizar os votos e levar a eleição ao segundo turno. Algo que ele não desejaria, pois teria contra si todo o grupo de oposição reunido para derrotá-lo.

Entretanto, acredita-se que Bellintani não tem tanta força quanto parece. “Ele vai ter que explicar por que largou o Bahia, por que largou o grupo de ACM Neto”, espera fonte próxima a ele. Além disso, para o grupo, Bellintani estaria “emparedado”. Se escolher não se filiar ao PSB, pode enfrentar uma candidatura petista, fragmentar votos e correr o risco de não ir ao 2º turno. Filiado ao PT, teria pela frente o antipetismo, fator considerável na definição do resultado eleitoral.

RUI E NETO: OS CABOS ELEITORAIS

O atual cenário para as eleições de 2020 em Salvador assiste a uma profusão de candidaturas. Além dos nomes do PT, colocaram-se também: Pastor Sargento Isidório (Avante), Olívia Santana (PCdoB), Geraldo Jr. (SD), Bacelar (Podemos), Leo Prates (DEM), Niltinho (PP), Sílvio Humberto (PSB), Vovô do Ilê (PDT), Hilton Coelho (PSOL), Edvaldo Brito (PSD) e Magno Lavigne (Rede).

Líder em uma pesquisa de intenção de votos divulgada em agosto deste ano, Isidório, deputado federal mais votado em Salvador e na Bahia em 2018, pretende se apresentar como terceira via ao eleitorado. Diz também que evitará o confronto com adversários. “O povo não aceita mais essa odiosidade, essa raiva”, diz.

Da base do prefeito, Prates está de malas prontas para o PDT, com aval dele. Lá, tentará pavimentar sua candidatura a prefeito. Cogita-se também que o atual secretário municipal de Saúde pode compor com Bruno Reis, ocupando a vice. “Tenho três bússolas, uma delas ACM Neto. Pra onde as três bússolas convergirem, eu estarei junto. Inclusive não sendo nada”, diz.

Para o cientista político e pesquisador da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Claudio André Souza, a próxima eleição terá como principais cabos eleitorais Rui Costa e ACM Neto, que ostentam altos índices de avaliação popular na capital baiana. Por isso, a campanha não deve ser de ataques mútuos entre os adversários.

“Não é uma eleição de desconstrução um do outro. Daí uma viabilidade da candidatura que chegue mais ao centro”, avalia. O professor também aponta que Isidório pode ser o fenômeno do próximo pleito.

“Ele representa as áreas mais pobres da cidade, pode se colocar em um espaço de novidade, de onda. É uma terceira via com relevância enorme”, explica.

comentários


Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 2353 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree