-->

Super premiado em 2019, Toyota Corolla é o primeiro veículo híbrido flex da história

20 Fevereiro 2020

Para manter a hegemonia do Corolla, um carro premiado e com ótima reputação no pós-venda, a Toyota atualizou completamente o modelo. Fabricado no Brasil e em outras 14 fábricas em todo

o mundo, o sedã agora é montado sobre a plataforma TNGA, a mesma do Prius, híbrido mais vendido do mundo. Nesta nova geração, a 12ª, o Corolla ganhou um desenho moderno e agregou novas tecnologias de auxílio à condução e um dos propulsores é exclusivo para o mercado brasileiro. Saiba o que rendeu ao sedã o título mais cobiçado da indústria automotiva do país: o de Carro do Ano.

A marca manteve o 2 litros, que foi otimizado e ganhou o título de Motor do Ano da revista Autoesporte, e introduziu uma motorização híbrida. E foi além: é a primeira vez que um motor a combustão, que trabalha em conjunto com um propulsor elétrico, pode receber gasolina e/ou etanol, em qualquer proporção.

Nesta situação, o motor 1.8 litro a combustão utiliza o ciclo Atkinson, tem 16 válvulas e aspiração natural. Aos 5.200 rpm, ele desenvolve 98 cv de potência quando utiliza gasolina e 101 cv quando abastecido com etanol. O torque máximo, atingido a 3.600 giros, é de 14,5 kgfm com qualquer combustível. A propulsão elétrica entre 72 cv de potência e 16,6 kgfm de torque. A potência combinada chega aos 123 cv.

São 4,63 metros de comprimento, 1,78 m de largura, 1,45 m de altura e 2,70 m de distância entre-eixos. O porta-malas leva 470 litros

O gerenciamento da energia é muito bom. De acordo com o Inmetro, com etanol, o sedã roda 9,9 km/l na estrada e 10,9 km/l na cidade. Na nossa avaliação a média urbana foi superior: 12 km/l. Pelo Inmetro, a média com gasolina é de 14,5 km/l na estrada e de 16,3 km/l na cidade. A explicação para o melhor consumo em trânsito urbano é porque a bateria recebe mais energia, gerada pelos freios no anda e para das cidade.

Para ser tão econômico, a energia excedente gerada pelo sistema, e também pelos freios regenerativos, é depositada na bateria que alimenta o motor elétrico. Quando o veículo roda no modo elétrico, que inclusive pode ser selecionado pelo motorista – a depender da carga da bateria e da velocidade -, o silêncio impera.

A outra opção é o motor 2 litros, denominado de Dynamic Force, entrega 169 cv com gasolina e 177 cv com etanol, sempre a 6.600 rpm. O torque máximo, disponível a 4.400 giros, é de 21,4 kgfm com qualquer combustível. Para esse propulsor o consumo urbano com gasolina é de 11,6 km/l na cidade e de 13,9 km/l na estrada.

Na hora de guiar, o motorista agora pode usar um piloto automático adaptativo, que reduz a velocidade pré-programada caso o veículo que transita na frente diminua o ritmo. Esse equipamento faz parte do Toyota Safety Sense, um pacote tecnologico que inclui ainda o farol alto automático, alerta de mudança involuntária de faixa e a frenagem automática de emergência.

O interior do Corolla pode ser bicolor e todas as versões do sedã contam com sete airbags
O interior do Corolla pode ser bicolor e todas as versões do sedã contam com sete airbags
O multimídia é compatível com CarPlay e Android Auto
O multimídia é compatível com CarPlay e Android Auto
Nessa versão a partida é feita por um botão
Nessa versão a partida é feita por um botão
O volante abriga comandos do som e outras funções
O volante abriga comandos do som e outras funções
 O motorista pode acompanhar o fluxo de energia
O motorista pode acompanhar o fluxo de energia
O interior do Corolla pode ser bicolor e todas as versões do sedã contam com sete airbags
O interior do Corolla pode ser bicolor e todas as versões do sedã contam com sete airbags
O multimídia é compatível com CarPlay e Android Auto
O multimídia é compatível com CarPlay e Android Auto
Nessa versão a partida é feita por um botão
Nessa versão a partida é feita por um botão
O volante abriga comandos do som e outras funções
O volante abriga comandos do som e outras funções
 O motorista pode acompanhar o fluxo de energia
O motorista pode acompanhar o fluxo de energia

Mercado
O título de carro mais vendido do mundo já diz muito sobre o Toyota Corolla. No ano passado foram comercializadas 1.236.380 de unidades em todo o planeta. No Brasil, o modelo japonês vendeu, entre janeiro e dezembro de 2019, 56.727 exemplares. Ou seja, mais que a soma dos emplacamentos do segundo, terceiro e quarto colocados, que chegou a 56.395 carros.

Aqui na Bahia, o Corolla fez um sucesso ainda maior: teve 2.607 unidades emplacadas no acumulado do ano. Os três principais concorrentes totalizaram 1.218, ou seja, no Estado, o Toyota vende mais que o dobro da soma dos rivais.

São três versões, sempre equipadas com câmbio CVT, com motor a combustão: GLI (R$ 101.990), XEI (R$ 112.990) e Altis (R$ 128.990). A opção de motorização híbrida é oferecida somente para a versão Altis, que custa o mesmo preço da configuração a combustão: R$ 128.990. Mas para o motor híbrido a Toyota oferece um pacote de equipamentos por R$ 7 mil. Chamado de Premium Pack, o conjunto de opcionais inclui teto solar elétrico, ar-condicionado de zona dupla e banco do motorista com regulagem elétrica.

O Corolla continua sendo um produto confiável e a Toyota se antecipou a uma possível dúvida do consumidor ampliando a garantia total do carro para cinco anos. Isso certamente irá manter o veículo entre os que menos desvalorizam. Além disso, o sistema híbrido possui cobertura de oito anos. Para rodar por muito tempo e ainda revender com garantia.

Em resumo, com ótima reputação no pós-venda, dirigibilidade exemplar e com ótima eficiência energética, o Corolla agora conta com tecnologias inéditas como o sistema híbrido flex e sistemas de auxílio à condução. Até um pedido do público foi atendido, o teto solar está disponível nesta nova geração.

Para referendar esse conjunto, o Corolla foi premiado com o título de Carro do Ano da Revista Autoesporte, da Editora Globo, a eleição automotiva mais respeitada do mercado nacional, realizada desde 1966 - por acaso o ano de lançamento do primeiro Corolla. O juri do Carro do Ano é formado por profissionais de imprensa que atuam na cobertura do setor automotivo e, no caso dos motores, conta com a participação de engenheiros automotivos.

O Estúdio Correio produz conteúdo sob medida para marcas, em diferentes plataformas.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree