-->

Nossa Quarentena: Equipe do CORREIO dá dicas para dias de isolamento

29 Março 2020

O CORREIO, desde o início das restrições para prevenir o contágio pelo novo coronavírus, praticamente trabalha 100% em sistema home office. Repórteres, na linha de frente da cobertura jornalística, precisam ir

para as ruas em busca da notícia, mas com todos os cuidados de segurança. O jornal se empenha em manter seus leitores atualizados sobre a pandemia, mas também cuida da equipe. Além da Redação, em outros setores do jornal, reuniões presenciais são substituídas pela tecnologia. Via acesso remoto, todos estão conectados virtualmente.

Se falta o calor humano de um dia normal de fechamento, sobram palavras de incentivo nos canais online. Fora do horário do expediente, cada profissional zela por si, pelos familiares e pela comunidade.

Nem todo mundo pode ficar em casa como recomendam as autoridades de saúde, mas quem pode, se esforça para manter a mente e o corpo sadios e em atividade. Afinal, quando a pandemia passar, a vida seguirá seu curso. Nesta reportagem, profissionais do CORREIO dividem com os leitores suas receitas para os dias de confinamento.

Quer participar também? Use a hastag #minhaquarentenanocorreio nas redes sociais do jornal - @correio24horas no Instagram, Facebook e Twitter – e conte a sua história.

As dicas da equipe contra o isolamento:

Além do trabalho, eu foco na alimentação. Busco alimentos que fortaleçam o meu sistema imunológico, como mel, própolis, alho, bastante alho, limão, Vitamina D, feijão e arroz, alimentos bacanas. Tudo isso para cuidar de mim e também cuidar do meu neto, Caio, de 14 anos, que é do grupo de risco, ele tem asma. Um dia eu faço a comida, no outro dia Caio faz e isso é bem lúdico, uma forma dele sair do celular. O resto do dia ele fica no celular, mas na hora de fazer a comida, ele vai para a cozinha e faz. No dia em que ele faz a comida, eu como umas calabrezinhas fritas. Mas está sendo muito bacana. Nossa relação pode se fortalecer ainda mais depois dessa quarentena, Linda Bezerra, Editora Chefe

"A quarentena tem significado mais tempo com minha filha de 5 anos. Quando não estou trabalhando ou realizando algum serviço doméstico - já que permiti que a empregada também fizesse o isolamento dela - fico junto com Luísa, jogando videogame, brincando de jogos de tabuleiro ou assistindo um filme. O tempo tem sido de união em casa, já que minha esposa é enfermeira e precisa do nosso apoio para seguir firme no importante trabalho que faz".
Ivan Marques, subeditor e coordenador de audiovisual

Durante as folgas do home office, além de maratonar umas séries legais como 'Além da Imaginação' e 'Modern Love', organizo umas papeladas antigas, me surpreendo com algumas lembranças e descarto outras tantas. Bom passatempo
João Gabriel Galdea, subeditor

"Neste momento de quarentena, além do trabalho home office e de me manter informado, aproveito para cuidar do que se ama: nosso lar e manter contato virtual com a família e amigos que muitas vezes falamos pouco. É tempo do cuidar de nós e dos outros".
Axel Augusto Hegouet, designer

Gabi Cruz (Foto: Acervo Pessoal)

"Usei meu lado jornalista para criar um projeto social com a Focus Moda Produções (@focusmodaproducoes). Divulgamos o manifesto Arte que Alimenta para falar sobre a situação de risco social dos jovens assistidos pela produtora. Também explorei meu lado artista e, ao lado da designer Samara Reis (@s.amar.aa), criei o perfil no Instagram @repartimentos, no qual publicamos fotos e ilustrações sobre nossa rotina na quarentena".
Gabriela Cruz, editora de Conteúdo do Estúdio Correio

Minha preocupação maior é com meus pais, um casal idoso que mora na zona rural de Muritiba, no interior do estado. No final de semana que iria visitá-los a situação se agravou e não pude ir, pois não queria expô-los. Tenho mantido conversas constantes com eles, por telefone. Eles não usam redes sociais. Minha maior dificuldade é encontrar o tom para fazê-los entender a gravidade sem criar pânico, pois eles também ficam preocupados conosco aqui em Salvador. E tentar animá-los para que não deprimam, Ana Cristina Pereira, Editora

"A casa virou uma estação de trabalho e afeto nesses últimos dias. Além de mim, há Laura, que também é repórter do CORREIO. Cuidamos de nós, do lar e da lida diária do jornalismo em tempos de quarentena. Temos maior preocupação, nesse momento, com nossas cabeças. Precisamos e estamos nos mantendo unidos e parceiros. Sobretudo por um terceiro elemento nesse roteiro: a doce Cecília, que virá ao mundo daqui a 45 dias. E por ela vale todo o esforço".
Jairo Costa Jr., editor

Para aliviar a mente, desconecto das notícias, ouço uma música que gosto e arrumo a casa (eu adoro!). Ao mesmo tempo, desfruto do carinho do meu marido, do nosso cachorro e da nossa pequena Cecília que vai nascer em maio. Esse afeto é precioso, Laura Fernandes, repórter

Patrícia Gagliotti (Foto: Acervo Pessoal)

"Disciplina é a alma do home office...Crie um ambiente de trabalho, defina seus horários, passe seu batom como se estivesse indo trabalhar, e use aquele tempo de deslocamento no trânsito para intensificar seu treino!! Corpo e mente saudáveis!!"
Patrícia Gagliotti, Executiva de Negócios – SP

Só a internet e a cozinha me salvam. Já maratonei as séries The Crown, Netx in Fashion, Magos da Decoração, Restaurantes em Risco e A vida e a história de Madame C. J. Walker. Agora, estou vendo Toy Boy, além de episódios antigos de Ru Paul's Drag Race. E testando novas receitas fit, pois estou me recuperando de uma cirurgia e não posso ainda fazer os treinos do crossfit (saudades, CFOxente) em casa, Jorge Gauthier, chefe de reportagem

"O bombardeio de informações nesse período tem sido grande e, como sou jornalista, acabo passando o tempo livre assistindo e lendo noticiários de fontes seguras. Para relaxar, três coisas que amo fazer: ouvir música, cozinhar e brincar com meus cães, com os quais tenho dado passeios rápidos".
Alexandre Lyrio, repórter

Eu arrumo a casa, brinco com meus dois cachorros e assumo a cozinha, testando receitas e criando novos pratos, Ronaldo Jacobina, Colunista

Caroline (Foto: Acervo Pessoal)

"Tenho tendado me conectar com Deus muitas vezes por dia em orações. Orar tem me trazido paz".
Caroline Coutinho, Marketing

Para manter o ânimo estou fazendo exercícios dentro de casa, aulas online de italiano e inglês e lendo romances, Paula Magalhães, colunista

"Para desanuviar a cabeça desse clima de ansiedade desligo o telefone em parte do dia, faço pão caseiro, bordado ou leio";
Leo Amaral, produtor

Para lidar com a ansiedade, faço tarefas manuais em casa, converso com minha terapeuta por Skype e assisto à série Elite, Vitor Villar, repórter

"Diante de tanta notícia da Covid-19, eu me entupi de BBB (vai, Babu!) e assisti à série Hip Hop Evolution, que também me deu muita coisa nova para escutar".
Vinicius Nascimento, estagiário de jornalismo

Em isolamento com meu filho de oito anos, ainda não conheci o tempo livre que dizem que vai aparecer, Flávia Azevedo, colunista

"Eu tive que dispensar a babá de minha filha por causa do coronavírus e como minha esposa é profissional de saúde e continua trabalhando na rua, meu tempo livre virou uma lenda urbana".
Herbem Gramacho, editor

Dadá Jaques (Foto: Acervo Pessoal)

"Diariamente, através da internet, estou dando aulas de capoeira e participando de bate-papos com alunos e convidados de várias partes do mundo sobre a política brasileira, economia, reposicionamento do ser humano para o zelo do planeta e sobre saúde do corpo e mente".
Dadá Jaques, Mestre do Grupo Dendê de Aro Amarelo e diagramador

Todos os dias agradeço ao universo por estarmos em época de BBB e reality shows da Netflix. Para desconectar, tenho assistido todos enquanto recebo "lambeijos" de meu cachorro e da minha coelha, Thais Borges, repórter

"Quando termino o trabalho, gosto de ficar com minha família - que também está em casa -, fazer ligações de vídeo para meus amigos mais próximos, assistir a filmes e ler".
Fernanda Santana, repórter

O que eu tenho tentado para reduzir os danos é não ouvir/ler notícias sobre o coronavírus o tempo inteiro. Tenho tentando deixar um tempo para isso: ver algum telejornal. Quando estou fora do trabalho, desativo as notificações de aplicativos de notícias. E no meu tempo livre, tenho visto séries e me dedicado a tarefas domésticas que me ocupem um bom tempo, Amanda Palma, repórter

Ana Carolina (Foto: Acervo Pessoal)

"Estou em casa tomando as precauções necessárias e orientadas pelos médicos e tenho rezado bastante. Isso me deixa em paz e com esperança, entregando esse momento nas mãos de Deus".
Ana Carolina Velloso, Executiva Comercial

Tenho o privilégio de poder ficar em casa durante esse período de isolamento. Sendo assim, estou cumprindo à risca as orientações das autoridades para contribuir com aqueles que precisam sair. Por aqui, o confinamento está estilo BBB: zero exposição ao mundo exterior. Contatos, só através de videochamada. A tecnologia também está me ajudando a manter a rotina de trabalho. O acesso remoto supriu a ausência da redação, o WhastApp substituiu as reuniões e os memes dão conta da resenha entre os colegas. Mas, o que mudou mesmo foi o meu traje, que agora é bem mais à vontade que a antiga calça jeans. O trabalho, inclusive, me ajuda a manter a mente sã e, de quebra, ainda economizo episódios da minha série favorita. Mente sã, corpo nem tanto. A atividade física por aqui está só por conta das faxinas. No mais, tento manter o bom humor e a esperança de que vamos superar mais essa crise e, de algum modo, sairemos mais fortes dela, Miro Palma, subeditor

"O que tenho feito em casa é botar as coisas que estavam precisando em ordem, cuidado das plantas e costurado bastante. Costurar tem me ajudado a passar o tempo de forma mais rápida. Acordo, costuro, organizo a casa e trabalho".
Quintino Andrade, designer

Luciana Gomes (Foto: Acervo Pessoal)

"Estou mantendo reuniões diárias com as equipes para que o time permaneça unido e motivado. Além do trabalho home office, tem a rotina da casa e com minha filha Stela, de 5 anos. Eu e Léo, meu marido, nos revezamos com atividades escolares e lúdicas. Nas horas vagas, estou produzindo e terminando bijuterias inacabadas que serão doadas para alguém que possa vender e complementar a renda".
Luciana Gomes - Gerente Comercial

Estou trancada em casa há 11 dias, precisando acompanhar o máximo possível de notícias sobre a pandemia. Para manter a sanidade, o jeito é estabelecer um horário para desligar e fazer coisas diferentes, tentar uma rotina nova: cozinhar, tocar violão, assistir filmes - desde que não tenham nada a ver com vírus, epidemias e afins - e ler. Essa semana, aprendi a fazer pão, comecei a ler ‘Por quem os sinos dobram’ e descobri o som maravilhoso das tigelas tibetanas, Clarissa Pacheco, subeditora

"O trabalho de repórter não é totalmente home Office, a gente precisa sair de casa para fazer algumas apurações, e isso ajuda no exercício físico. Além disso, montei meu escritório no quarto, então, preciso levantar e caminhar até a cozinha toda vez que quero beber ou comer alguma coisa. Já para manter a sanidade mental vale um bom livro, filme ou série. Uma videochamada com aquela pessoa que não vemos há muito tempo ou ainda chegar à janela e mirar o horizonte por uns dois minutos. Acalma, relaxa e ainda coloca os pensamentos em ordem".
Gil Santos, repórter

*O Salvador Unida é uma iniciativa do Jornal CORREIO em parceria com o Sebrae, apoio institucional da Prefeitura de Salvador e apoio do Fecomércio, Sotero Ambiental, Acomac, Salvador Bahia Airport, Fieb, Hapvida, Ademi, Viltalmed, Intermarítima, Claro, Hapvida e Hospital da Bahia.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree