-->

Pelo terceiro ano seguido, Vitória sofre com rotatividade no gol

10 Abril 2020

Já faz um bom tempo que o torcedor do Vitória não passa uma temporada tendo um único jogador como referência do gol. A última vez que isso aconteceu foi em 2017,

quando o Leão fazia parte da elite do futebol brasileiro e tinha Fernando Miguel como dono absoluto das luvas. O arqueiro fez 54 jogos naquele ano e teve só um substituto nos momentos em que foi poupado ou se machucou. Prata da casa, Caíque ganhou a oportunidade de mostrar serviço em 14 partidas.

De lá pra cá, essa estabilidade nunca mais foi vista nas traves do clube. Este ano, o Vitória comandado por Geninho usou três goleiros nas 10 primeiras partidas que fez. O uruguaio Martín Rodríguez se machucou na estreia, no empate sem gols com o Fortaleza, dia 25 de janeiro, pela Copa do Nordeste. Ele precisou deixar o gramado após romper o ligamento cruzado anterior do joelho direito.

Coube a Ronaldo assumir o gol nos minutos finais daquela partida e das sete seguintes, contra Sport, Bahia, Imperatriz, Frei Paulistano, CRB, Lagarto-SE e ABC, até também se lesionar durante um dos treinamentos.

Titular do time de aspirantes no começo do Campeonato Baiano, Lucas Arcanjo já tinha se tornado a opção no banco do elenco principal e assumiu a titularidade nas duas últimas partidas do Leão antes da paralisação dos campeonatos por causa da pandemia de coronavírus. Ele entrou na derrota por 1x0 contra o Ceará, no estádio Castelão, pela Copa do Brasil, e na goleada por 4x1 aplicada em cima do River-PI, no Barradão, pela Copa do Nordeste. Revelado na Toca assim como Ronaldo e Lucas Arcanjo, Yuri Sena, de apenas 19 anos, que ainda não estreou como jogador profissional, foi o reserva nas duas ocasiões.

Como Martín passou por cirurgia e a previsão é que ele só fique à disposição entre julho e outubro, o Vitória foi ao mercado e contratou o goleiro César, ex-Coritiba, que se destacou no Londrina na Série B do ano passado. Anunciado pelo clube no dia 12 de março, o jogador não chegou nem a ser apresentado, pois o clube suspendeu as atividades da Toca cinco dias depois para evitar a propagação no novo coronavírus.

Outras temporadas

Se este ano a rotatividade no gol é por questões de ordem médica, nas duas temporadas anteriores as mudanças foram por outras motivações. Titular durante o Baianão de 2018, Fernando Miguel perdeu o posto para Caíque na quarta fase da Copa do Brasil. Sentou no banco também nas três primeiras rodadas da Série A e, de lá, viu o prata da casa falhar. Mesmo com vínculo até dezembro, assinou a rescisão do contrato em maio após 151 jogos com a camisa rubro-negra e se transferiu para o Vasco, clube que defende até hoje.

Apesar da oportunidade, as falhas em sequência de Caíque fizeram ele perder a posição e ser rebaixado à equipe sub-23. Contratado junto à Chapecoense, o goleiro Elias assumiu o posto na 6ª rodada do Brasileirão, quando o Vitória amargava a zona de rebaixamento, mas só vestiu a camisa vermelha e preta em oito jogos. Ele perdeu a posição para Ronaldo após a goleada por 4x1 para o Bahia, no primeiro turno.

Na ocasião, Ronaldo só tinha feito dois jogos como profissional. Entrou no gol na 15ª rodada e foi o responsável por ele até a 33ª. Outra vez um Ba-Vi foi decisivo para provocar a mudança. Ronaldo foi sacado do time após falhar no empate em 2x2 no clássico do segundo turno.

O goleiro João Gabriel apareceu nas últimas cinco rodadas da Série A de 2018, se destacou e renovou contrato até dezembro de 2021. Em janeiro de 2019, lesionou o joelho, passou por cirurgia e retornou em março. Fez três jogos antes de Paulo Carneiro ser eleito presidente do clube, em 24 de abril, e não voltou mais a entrar. Fora dos planos, foi emprestado em janeiro deste ano ao Sampaio Corrêa.

Assim como em 2018, em 2019 a meta do Vitória também foi defendida por cinco jogadores. Titular em boa parte do primeiro semestre do ano passado, Ronaldo perdeu espaço para Caíque, que também não se firmou. Começou em campo nos três primeiros jogos pela Série B, mas voltou a falhar e a ser rebaixado para o sub-23. No começo de 2020, foi emprestado ao CSA.

O afastamento de Caíque resultou na estreia como profissional de Lucas Arcanjo, na 4ª rodada da Segundona. Porém, o arqueiro falhou durante a derrota por 3x1 para o São Bento e houve nova troca. Ronaldo entrou nas quatro rodadas seguintes, até Martín virar titular na 9ª rodada. O uruguaio acabou com a instabilidade, só desfalcando o time por contusão, em duas partidas, quando foi substituído por Ronaldo. Não conseguiu manter a sequência no começo desse ano por causa da nova contusão.

Jogadores que defenderam o gol do Vitória nas últimas quatro temporadas:

2020: Martín Rodríguez, Ronaldo e Lucas Arcanjo (Recém-contratado, César ainda não estreou)

2019: João Gabriel, Caíque, Ronaldo, Lucas Arcanjo e Martín Rodríguez

2018: Fernando Miguel, Elias, Caíque, Ronaldo e João Gabriel

2017: Fernando Miguel e Caíque


We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree