-->

Funcionários do metrô fazem homenagem ao Dia Mundial do Rock

13 Julho 2020

Desde o carnaval do ano passado que os pssageiros e transeuntes do metrô de Salvador e Lauro de Freitas têm uma companhia inusitada e divertida. Devidamente fardados com as roupas de

segurança e com instrumentos na mão, a banda Agentes do Metrô faz a alegria de quem passa pelo modal pelo menos uma vez por mês.

No entanto, assim como grandes artistas tiveram suas agendas canceladas em decorrência da pandemia do coronavírus, o grupo dos seguranças do metrô baiano também foram impactados e não sabem o que é fazer um show desde o último dia das mães. É dureza ficar sem o público. Nomes como Xand Avião, Gusttavo Lima, Ivete Sangalo, Márcio Vitor e tantos outros encontraram nas lives uma maneira de continuar perto do público, além de não deixar o trabalho parar completamente. E os Agentes do Metrô também entraram na onda.

Respeitando a ideia do isolamento social, a banda lançou uma releitura da música Metamorfose Ambulante, de Raul Seixas, em homenagem ao Dia Mundial do Rock que foi comemorado na última segunda-feira (13).

O vídeo é conduzido pelo instrumental da banda, que conta com 11 integrantes, todos agentes do Metrô, mas ganha a participação das vozes de diversos outros funcionários do metrô: de operações à comunicação. De casa ou das estações, todo o mundo canta que prefere ser uma metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.

Cada funcionário gravou um trechinho guiado pela gravação do instrumental feito pela banda e aí soltou a voz de casa mesmo. Alguns mais afinados, outros nem tanto. No final das contas, a homenagem ficou bem divertida e seguiu o protocolo de isolamento social.

Nem todos os trabalhadores podem ficar em casa, afinal de contas o metrô é um serviço essencial e por isso os operadores e agentes seguem trabalhando nas estações.

Agente de atendimento do metrô e guitarrista, Josiel Macedo diz que sente falta de se apresentar para o público no metrô e que espera que a banda possa retornar às apresentações rotineiras o mais rápido possível.

"Continuamos trabalhando normalmente já que o metrô é serviço essencial. Sempre fazemos essas homenagens em datas comemorativas e desta vez pensamos em algo que dialogue com esse momento, que pede isolamento social", conta.

Os agentes N Costa, Fernandes, Josiel, Jaguaracy, Wilton, Costa, A.Oliveira, Brito, Pessoa, Ronald e Ailton são os músicos que dão o tom à banda Agentes do Metrô. Um sonho realizado para alguns que já tiveram a experiência com música e também para aqueles que começaram despretensiosamente, de forma autodidata.

O próprio Josiel é um exemplo disso. Amante da música desde a infância, ele viu na banda dos AASs uma oportunidade de reviver uma grande paixão. Além de guitarrista, ele também se revelou compositor.

Josiel transformou o amor pelo modal e pela arte em música, com a criação da letra Bora de Metrô. A canção dá dicas de segurança, acessibilidade e fala da facilidade em utilizar o modal. Uma forma de educar e reforçar a importância do metrô para a mobilidade urbana e das atitudes de cada cliente para o bom funcionamento e segurança do sistema.

O guitarrista explica que a banda serve para humanizar a relação entre os usuários do metrô e seus agentes de segurança.

"As pessoas cruzam com a gente no dia-a-dia e lembram que 'ah é você que estava tocando' e tudo isso deixa o trabalho mais fluido, torna os clientes mais sensíveis às nossas orientações", diz Josiel.

Banda Agentes do Metrô faz apresentação ao vivo na estação Acesso Norte (Foto: Divulgação/CCR Metrô)

Dia Mundial do Rock
Falar em aglomeração durante uma pandemia que preza pelo isolamento social para evitar o contágio é até dolorido. Mas foi em um dia de muita aglomeração que nasceu o Dia Mundial do Rock há 35 anos.

O festival chamado de Live Aid reuniu vários nomes icônicos da música global na época para arrecadar fundos e doar para iniciativas de combate à fome na África. E ele aconteceu justamente no dia 13 de julho, dando origem à comemoração.

O festival aconteceu em dois países: Estados Unidos, com sede no John F. Kennedy Stadium, na Filadélfia, e na Inglaterra quem fez as honras foi o icônico estádio de Wembley, na capital Londres.

O festival foi inspirado em outro momento icônico do rock mundial: Woodstock, realizado em 1969 e que serve de referência para todos os festivais gigantescos que acontecem até os dias de hoje.

Bandas como Queen, Paul McCartney, U2, The Who, Elvis Costello, Sting, Phil Collins, Dire Straits, David Bowie, Elton John, B.B. King, Black Sabbath, Judas Priest, The Beach Boys, Santana, Kool & The Gang, Madonna, Neil Young, Eric Clapton, Crosby, Stills, Nash & Young, Mick Jagger e Led Zeppelin participaram do Live Aid.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree