-->

O turismo do futuro: sem 'café da manhã de hotel', check-in digital e guia personalizado

04 Agosto 2020

Da entrada do hotel ao quarto, contato físico só com a distância de um metro e meio, sem papeladas para assinar no check-in e até uma nova forma de arrumar os

quartos. O trade turístico, depois de cinco meses parado, começa a pensar a nova fase do turismo em Salvador. Para auxiliar a retomada das atividades na capital baiana, a Prefeitura inaugura nesta terça-feira (4), no Hub Salvador, no Comércio, o Centro de Recuperação do Turismo, que oferecerá serviços e consultorias, gratuitamente, a empresas de turismo.

O centro funcionará de segunda à sexta-feira, das 9h às 16h, e foi desenvolvido por um projeto da Secretaria e Turismo de Salvador (Secult). A ideia é orientar os profissionais de turismo nesse processo de retomada. Os hotéis e outras hospedarias, como albergues e pousadas, nunca foram enquadradas por decretos de fechamento. No entanto, pelas medidas restritivas necessárias para conter o avanço da covid-19, não tinham a quem hospedar, já que as atrações turísticas estavam todas fechadas.

Em um único local serão fornecidos serviços públicos, consultoria técnica e financeira, em parceria com bancos públicos e privados, Sebrae, Senac e associações empresariais do turismo. Além dos serviços, os profissionais do setor ainda contarão com um espaço de co-working, onde poderão agendar turnos com duração de até cinco horas para execução do trabalho.

“O CRT é um projeto inovador que, além de ajudar as empresas do Turismo a retomarem suas atividades, ofertará serviços e consultorias para que elas se capacitem, melhorem sua presença digital e utilizem a internet para impulsionar a comercialização do destino Salvador com modernização e inovação”, destacou o secretário de Cultura e Turismo de Salvador, Pablo Barrozo.

A capital baiana tem, em média, 400 meios de hospedagem, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis na Bahia. Ao menos 90% estão fechados. Segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o setor perdeu quase R$ 90 bilhões em decorrência do novo coronavírus.

O segmento foi fortemente impactado pela intensificação de medidas visando à redução do ritmo de expansão da doença, como o isolamento social e o fechamento das fronteiras em diversos países. Em março, quando foi decretada a pandemia de covid-19, o setor acumulou perda de R$ 13,38 bilhões em relação à média mensal de faturamento nos meses anteriores.

Grand Hotel Stella Maris, um dos hotéis que estão fechados durante a pandemia, em Salvador (Foto: Divulgação)

A prestação de serviços para as empresas de turismo é o primeiro do modelo executado no Brasil e fornecerá consultoria técnica e financeira, em parceria com bancos públicos e privados, Sebrae, Senac e associações empresariais do turismo.

Num espaço de coworking, as empresas poderão agendar turnos de até cinco horas para execução de algum plano ou trabalho, o que deve ser agendado no site retomadadoturismo.salvador.ba.gov.br ou pelo telefone (71) 3202-7634. O público alvo, além de meios de hospedagem, inclui profissionais de agências de viagem e receptivos, guias de turismo e bares e restaurantes, por exemplo.

Na lista de 24 cursos, que serão onlines, estão alguns como estratégias de marketing digital e mídias sociais, novos protocolos para atendimento ao turista, elaboração de roteiros turísticos e técnicas de limpeza e arrumação, com novos protocolos. Os links estão disponíveis no site do centro.

O local oferecerá, também, atendimentos da Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) e da Secretaria da Fazenda (Sefaz), para auxiliar empresas com dívidas, dúvidas sobre funcionamento, orientação para licenças, entre 39 serviços que serão prestados.

Café da manhã, check-in e higiene: tudo diferente

O pontapé inicial para retomada do turismo aconteceu quando o Mercado Modelo reabriu com restrições, na última quinta-feira (30), avalia Silvio Pessoa, presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação (Febha). “Ninguém visita uma cidade para ficar trancado no hotel. Essa retomada, como já vemos, acontecerá a partir da reabertura das praias, dos bares. Nós estamos esperançosos para recuperar esse nicho. E acho que esse centro vai auxiliar nesse processo”, opina. A expectativa é que a retomada comece em outubro.

Bares estão fechados (Foto: Tiago Caldas/CORREIO)

O setor se prepara, desde março, para o momento de retomada. E elaborou protocolos de como deve ocorrer. Nos hotéis, o check-in deve ser preferencialmente online - o hóspede apenas valida a ficha de entrada, em que constará um QR Code -, o famoso café da manhã de hotel servido individualmente, sem buffet coletivo, as piscinas e restaurantes com distanciamento de dois metros entre os frequentadores, e a limpeza dos quartos feitas a cada saída do hóspede.

A recomendação é de que os hotéis com academia funcionam com horário marcado pelo hóspede. O presidente da ABIH, Luciano Lopes, acredita que o turismo precisará se reinventar. A tecnologia será um dos pontos principais.

“Eu acho que o que já está mudando é cada vez mais a inserção da tecnologia do hotel para diminuir a proximidade social. A grande aposta é, sem dúvida,essa. Aplicativos podem, por exemplo, contribuir para a limpeza dos quartos, monitoramento de situações equivocadas”, acredita.

Os guias de turismo também preveem mudanças nas experiências turísticas na cidade. Hoje, Salvador tem, em média, 450 guias. As mudanças já previstas são um contato mais próximo do turista - ao invés de grandes grupos, no máximo cinco turistas por guia, a uma distância de um metro e meio -, a redução de pessoas em ônibus de turismo - com intercalação de passageiros entre uma poltrona e outras - e medidas de segurança como o uso de máscara e álcool em gel constantemente pelo guia e pelo turista.

A vice-presidente da Federação Nacional dos Guias de Turismo da Bahia e guia em Salvador, Silvana Rós, acredita que o chamado “turismo de experiência” ganhará ainda mais força. Um guia de turismo guiava até 45 pessoas por grupo até então.

“O turismo não vai ser mais de massa, como já não vinha sendo, mas de experiência. Uma experiência de cinco pessoas, o norte para o que elas desejam. A ponta de lança vai ser essa”, diz.

Acender a saudade

Na retomada, o turismo também terá o desafio de responder à pergunta: “Por que visitar Salvador?”. O presidente da Salvador Destination, associação que promove e divulga a cidade no segmento de eventos nacionais e internacionais, acredita em “manter a chama da lembrança acesa” e começar um movimento de chamar turista quando as condições permitirem. Antes da pandemia, Salvador era um dos principais destinos do Brasil. Saiu do Carnaval com ocupação máxima nos hotéis.

“Não adianta fazer isso enquanto não houver passeio, não houver possibilidades e experiências. Isso tem que ser feito de forma muito clara e segura. Salvador tem muitas variedades de experiências, temos possibilidades em diversas frentes, e estamos alinhados em desenvolver esses atrativos”, diz.

Os representantes na entidade acreditam que a retomada só será fortalecida no final deste ano ou início do ano que vem, com as perspectivas de uma vacina conta a covid-19. Um dos consensos é que o turismo do futuro à frente deve fortalecer cada um dos elos que compõem o turismo na cidade.

De acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT), o turismo doméstico ganhará força no pós-pandemia, pois os viajantes irão se concentrar em viagens no Brasil a partir de julho de 2020 até junho de 2021, temendo uma segunda onda de covid-19 em outros países. Com isso, uma demanda significativa, entre 25% a 45% a mais do que o previsto, pode ser gerada no segundo semestre de 2020 em viagens domésticas e regionais.

O presidente da Febha, Silvio Pessoa, comenta que as empresas e os locais devem aderir a formas de publicidades específicas e promoções para atrair, com segurança, os visitantes. “Vai ter uma disputa, certamente”, opina. Mas ele ressalta que, quando o momento da retomada chegar, todos precisam se unir numa ação coletiva para fazer os protocolos funcionarem.

SERVIÇO

O QUÊ: Centro de Retoma do Turismo
QUANDO: De segunda a sexta, das 9h às 16h
ONDE: Hub Salvador. Avenida da França, 393 – 2º andar. Comércio.
CONTATO: 3202-7634
SITE: retomadadoturismo.salvador.ba.gov.br

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree