-->

Sucesso fora de campo, Bahia acumula fracassos no futebol

05 Agosto 2020

A gestão de Guilherme Bellintani é uma das mais importantes na história do Bahia, pelo menos neste século. Desde que ele assumiu a presidência, em 2018, o Esquadrão deu um salto

no trabalho que vinha sendo construído desde 2013, quando passou por intervenção judicial e iniciou a "era democrática".

Sob o comando do dirigente e sua equipe, o clube aumentou o faturamento e passou a ser o de maior orçamento do Nordeste, aspecto que ganha peso num futebol cada vez mais competitivo e que exige grandes investimentos. Entre as ações de sucesso fora do campo, o Bahia conseguiu elevar a quantidade de sócios e também passou a ser exemplo como clube progressista pelas campanhas e ações afirmativas que promove em torno de causas humanitárias.

Todo esse sucesso sem a bola, no entanto, não tem se refletido no futebol. A derrota na final da Copa do Nordeste para o Ceará foi mais um dos tropeços que o tricolor acumulou dentro de campo nos últimos três anos.

Os fiascos se repetiram também em outras edições da Copa do Nordeste. Em 2018, o Esquadrão perdeu o título em casa para o Sampaio Corrêa, mesmo tendo maior investimento e time tecnicamente superior ao adversário. Em 2019, sequer passou da primeira fase.

O Bahia também amargou decepções em competições como a Copa do Brasil, Copa Sul-Americana e Campeonato Brasileiro. Os únicos títulos conquistados até aqui foram do Campeonato Baiano, torneio tratado como menor pela atual diretoria. O Bahia foi campeão em 2018 e 2019 e está na final deste ano, que começa a ser disputada nesta quarta-feira (5), contra o Atlético de Alagoinhas. O jogo de volta é sábado (8).

No último ano do triênio para o qual foi eleito (2018-2020), Guilherme Bellintani tem agora as disputas do Brasileirão e da Copa Sul-Americana para tentar apagar as decepções produzidas no campo e colocar o Bahia no patamar que a torcida espera.

Veja a seguir a lista de tropeços na gestão de Bellintani, que nesta quarta falou sobre o assunto e pediu desculpas ao torcedor:

"Não é demérito perder para o Ceará, mas com pouca ou quase nenhuma agressividade é um fato que a gente precisa pedir desculpa. Não é uma desculpa da boca pra fora", disse Bellintani. "Precisamos ampliar nossa capacidade de indignação, mas não concordo com a falta de evolução no futebol. Num cenário geral, temos avanços importantes no futebol. Em seis anos, fizemos quatro finais da Copa do Nordeste, somos o décimo no ranking da CBF, mas isso não tira nossa responsabilidade. (...) Vamos fazer um trabalho de acrescentar a cultura de avanço e tentar transformar em campo as conquistas que temos fora".

Copa do Nordeste

Amplo favorito para ficar com o título da Copa do Nordeste em 2018, o Bahia protagonizou uma zebra ao perder o caneco para o Sampaio Corrêa. Depois da derrota por 1x0 no jogo de ida, em São Luís, o Esquadrão empatou por 0x0 na Fonte Nova e perdeu a chance do tetracampeonato.

Um ano depois, em 2019, o maior dos vexames: o time não passou sequer da primeira fase da competição. Na última rodada, ainda com chance de classificação, foi mais uma vez derrotado pelo Sampaio Corrêa, sofrendo gol do meio de campo. A eliminação causou a demissão do técnico Enderson Moreira e a chegada de Roger Machado. Com ele, o Bahia chegou à final deste ano e perdeu para o Ceará mesmo jogando as duas partidas em Pituaçu, estádio onde o Esquadrão se sente em casa. Além do resultado, a postura da equipe nos jogos foi alvo de críticas da torcida, endossadas por Bellintani.

Copa do Brasil

A pandemia ainda não havia chegado ao país quando o Bahia amargou o primeiro vexame da temporada 2020 ao ser eliminado na primeira fase da Copa do Brasil, no dia 5 de fevereiro. Mesmo tratando a competição como prioridade, o tricolor foi derrotado pelo modesto River-PI, por 1x0, em jogo único no qual tinha a vantagem do empate para avançar, e deu adeus ao torneio de forma precoce. Além do prejuízo técnico, o clube deixou de arrecadar com as cotas da competição. A frustração foi ainda maior porque nos dois anos anteriores o tricolor havia chegado até as quartas de final.

Copa Sul-Americana

Outro fiasco tricolor na gestão Bellintani aconteceu na Copa Sul-Americana de 2019. Apesar da expectativa por uma boa campanha após ter ido até as quartas de final no ano anterior, o Bahia caiu diante do pequeno Liverpool-URU, após ser derrotado por 1x0, na Fonte Nova, e não passar de um empate sem gols no Uruguai.

Campeonato Brasileiro

O bom primeiro turno que o Bahia fez no Campeonato Brasileiro do ano passado sob o comando de Roger criou grande expectativa. Com uma campanha segura, o Esquadrão não falou de rebaixamento e flertou com uma vaga na Copa Libertadores. Mas o desempenho caiu muito no segundo turno, quando o time chegou a embalar uma sequência de nove jogos sem vencer. No final, terminou o Brasileirão na 11ª colocação, bem distante do sonho da Libertadores e na mesma posição do ano anterior. A estreia em 2020 será na próxima quarta-feira (12), contra o Coritiba, em Pituaçu.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree