-->

Vitória precisa melhorar aproveitamento para retornar à Série A

20 Setembro 2020

Desde que 2020 começou, o Vitória sempre deixou claro: seu principal objetivo do ano é subir à Série A. Após eliminações precoces na Copa do Brasil, Copa do Nordeste e Campeonato

Baiano, a missão se tornou ainda mais importante. Mas, se o Leão quiser mesmo voltar à elite do futebol nacional no ano que vem, terá que melhorar bastante seu desempenho.

Atualmente, o rubro-negro aparece na 8ª colocação, com 14 pontos em 10 jogos feitos. Até aqui, acumulou três triunfos, cinco empates e duas derrotas, fazendo o aproveitamento da equipe treinada por Bruno Pivetti ser de 46,7%. O mesmo desempenho, se persistir até o fim da competição, só manteria o Vitória na Segundona.

De 2010 até 2019, os times precisaram de um aproveitamento, em média, de 55,3% para subir à Série A - ou 63 pontos totais. É quase o mesmo valor dos últimos cinco anos, quando os clubes necessitaram de 55% - ou 62 pontos -, em média, para voltarem à primeira divisão.

AnoTimePontuaçãoAproveitamento

2010

América-MG63 pontos55,3%

2011

Sport61 pontos53,5%

2012

Vitória71 pontos62,3%

2013

Figueirense60 pontos52,6%

2014

Avaí62 pontos54,4%

2015

América-MG65 pontos57%

2016

Bahia63 pontos55,3%

2017

Paraná64 pontos56,1%

2018

Goiás60 pontos52,6%

2019

Atlético-GO62 pontos54,4%

A má notícia é que nem sempre conquistar essa pontuação pode colocar uma equipe na elite do futebol nacional. E isso aconteceu duas vezes nos últimos 10 anos. Em 2015, o Náutico terminou a competição com 63 pontos, só que ficou na 5ª posição entre os 20 clubes. Quem acabou como 4º colocado foi o América-MG, com 65 pontos.

Em 2012, o cenário foi mais complicado. Isso porque a pontuação mínima necessária para o acesso foi, disparada, a maior da última década: nada menos que 71 pontos. Naquele ano, o G4 foi fechado justamente pelo Leão, com 62,3% de aproveitamento. Curiosamente, o São Caetano terminou com os mesmos 71 pontos, só que ficou em 5º por ter menos triunfos (20 contra 21 do rubro-negro baiano). Por isso, é tão importante ganhar - afinal, o quesito ‘vitórias’ é o primeiro entre os critérios de desempate no Brasileirão da Série B.

Em 2017, o Paraná precisou de 64 pontos para subir. Mas o 5º colocado, o Londrina-PR, fez 62 - abaixo da média. Por isso, não entra nessa matemática.

Menor que a média
Pensando em um lado bom, nem sempre a pontuação necessária para o acesso é igual ou maior que a média dos últimos 10 anos, de 63 pontos. Cinco vezes, ao longo desse período, foi menor. Em 2014 e no ano passado, o aproveitamento de 54,4%, com 62 pontos, colocou o Avaí e o Atlético-GO, respectivamente, na Série A.

Em 2011, o Sport ficou com 61 pontos ao fim das 38 rodadas (53,3%) e fechou o G4. Naquele mesmo ano, o Vitória bateu na trave, ao terminar o torneio em 5º, com 60 pontos. Em 2013 e em 2018, os 60 pontos classificaram o Figueirense e o Goiás, respectivamente, na elite do futebol nacional, com 52,6% de aproveitamento cada.

Desta forma, se o time de Bruno Pivetti quiser fechar a atual temporada da Série B - que só termina no dia 30 de janeiro de 2021, por causa da paralisação pela pandemia do coronavírus -, é bom começar a melhorar seu desempenho. Como mandante, está no G4, com aproveitamento de 83,3% no Barradão. Mas, como visitante, tem apenas 22,2% de aproveitamento, um dos piores do torneio.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree