-->

Artesanato cearense irá ganhar um importante impulso com projeto da ONG Artesol, confira

18 Novembro 2019
Foto: Valdemir Cunha

No mês de novembro, associações e grupos tradicionais de diversas cidades do estado vão integrar um “mapa do artesanato brasileiro” e receber apoio da ONG

para potencializar a comercialização de seus produtos

O artesanato cearense vai ganhar um importante impulso em novembro. Começa nesta segunda-feira (18) capacitações nas cidades de Muquém, São Gonçalo do Amarante, Itaiçaba, Santana do Cariri, Juazeiro do Norte, Crato, Massabe, Palhano e Nova Olinda. A iniciativa é parte das atividades da organização não-governamental (ONG) Artesol, que vai abordar comunicação e tecnologia para associações de artesãos do estado. Além disso, esses grupos passam agora a integrar uma plataforma nacional do artesanato brasileiro. No total, 12 associações que trabalham com técnicas tradicionais no estado serão beneficiadas pela ONG.

Confira no link os grupos do Ceará que fazem parte da iniciativa (https://www.artesol.org.br/rede?uf=CE) .

Os profissionais da Artesol estão rodando o Brasil com o objetivo de documentaras principais produções de artesanato tradicional e apoiar os artesãos nadivulgação dos seus trabalhos a nível nacional e internacional. O foco é fomentara comercialização do artesanato de raiz gerando renda e valorizando asidentidades culturais de cada região.

Através do projeto, que tem patrocínio da Vale e apoio da Petrobras, osnúcleos produtivos ganham uma página dentro do portal (artesol.org.br), queserve como canal efetivo de negociação entre outros artesãos, lojistas,pesquisadores, promotores culturais e consumidores finais. Após ascapacitações, todos os grupos terão fotos de seus produtos nessa vitrineinternacional para fortalecer a comercialização das peças.

A ONG Artesol foi fundada há 20 anos pela antropóloga Ruth Cardoso e tem comofoco promover o artesanatotradicional, que é patrimônio cultural do país. Segundo a presidente da organização,Sonia Quintella, “mais do que inventariar saberes tradicionais que correm o riscode desaparecerem por falta de acesso ao mercado, a ideia é manter viva essadiversidade de técnicas artesanais única do Brasil, promovendo inclusão socialatravés da cultura popular”.

Após acapacitação em campo, osartesãos também vão ter acesso a um ambiente de aprendizagem à distância paracontinuar recebendo conteúdo nas áreas de comunicação, design e formalização,entre outros temas.

Mapeamento da cadeia artesanal

Os artesãos quefazem parte da Rede foram selecionados a partir de um criterioso mapeamento quelevou em consideração os aspectos culturais como identidade local, utilizaçãode técnicas tradicionais, o manejo sustentável de matérias-primas, a qualidadedas peças e a capacidade produtiva dos grupos.

Por meio de uma pesquisa realizada junto aos atuais membros da Rede inseridosem 2018 no projeto, 89% relataram aumento de contatos via plataforma, sendo 60%desses contatos de lojistas. Os artesãos também afirmaram ter recebido contatosde consumidores finais, jornalistas, turistas, estudantes e pesquisadoresatravés do portal.

Informações

Para fotos dascapacitações anteriores do Ceará, solicitação de cobertura in loco, maisinformações, contatos de artesãos, dúvidas e quaisquer outros esclarecimentos:

Camila Fróis | (11) 3082-8681 / (11) 96345-5278 / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Da redação do Correio Cearense com Assessoria da Artesol


Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 408 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree