Imprimir esta página
-->

Segundo Lula Huck representa a Globo, e não o centro-esquerda

16 Janeiro 2020

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva disse que o apresentador e empresário Luciano Huck “não representa a centro-esquerda”. Apontado como potencial candidato à Presidência em 2022,

Huck tem se notabilizado por um discurso no qual aponta como um dos principais problemas do País a desigualdade social e econômica.

O Luciano Huck não representa a centro-esquerda. Ele representa a Central Globo de Televisão. É isso que ele representa nesse momento. […] Na verdade, o Luciano Huck está sendo discutido pelo dono da Ambev (em provável referência a Jorge Paulo Lemann, sócio da 3G Capital, que controla a Ambev), que é o novo formador de quadros políticos neste país”, afirmou Lula em entrevista concedida à TVT, emissora ligada ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, na quarta-feira, 15.

Frente ampla

O ex-presidente reconheceu a possibilidade de criar uma frente ampla para “conquistar a soberania nacional”. Lula negou que não apoie candidatos de outros partidos políticos e admite a possibilidade de o PT apoiar o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), nas eleições para a Presidência da República em 2022. “Admito, como não? O PCdoB já me apoiou quatro vezes”, disse.

Prefeitura de São Paulo

Lula afirmou que o ex-prefeito de São Paulo e candidato derrotado do PT na eleição presidencial de 2018, Fernando Haddad, não pretende disputar novamente a Prefeitura de São Paulo na disputa deste ano. “É sabido que o companheiro Haddad não quer ser candidato. E quando a pessoa não quer ser candidata é bom você não forçar. O PT vai ter que escolher outro companheiro.”

O jornal O Estado de S. Paulo revelou no fim do ano passado que Lula vinha trabalhando por uma chapa para a Prefeitura liderada por Haddad e com a ex-prefeita Marta Suplicy (sem partido) como vice.

Críticas a Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a ser alvo de críticas do petista. “O ideal seria que, quando alguém assumisse o posto de Presidente da República, ele se despisse de toda raiva e de todo preconceito. E entendesse que agora ele governa para 200 milhões de pessoas. O Estado precisa governar para quem mais precisa.”

Condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do triplex do Guarujá, Lula foi solto e deixou a cela especial da Polícia Federal em Curitiba no início de novembro do ano passado após o Supremo Tribunal Federal (STF) declarar inconstitucional a prisão após condenação em segunda instância.

O ex-presidente é réu em outras ações penais, como no caso do sítio de Atibaia, no interior paulista, pelo qual foi condenado a 12 anos e 11 meses de reclusão pela juíza Gabriela Hardt em fevereiro do ano passado.

Da redação do Correio Cearense com Noticias ao Minuto

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree