-->

Prefeitura realiza pesquisa para mensurar a população já imune à Covid-19

02 Junho 2020
Foto: Divulgação

Na noite desta segunda-feira (01/06), o prefeito Roberto Cláudio anunciou, em transmissão ao vivo pelas redes sociais, novas ações de enfrentamento à Covid-19 na Capital. Por meio

de medidas preventivas e assistenciais, o Município segue buscando mitigar a disseminação e os impactos provenientes da pandemia.

Objetivando assegurar maior controle epidemiológico, a Prefeitura de Fortaleza e o Governo do Estado, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), realizam, ao longo desta semana, pesquisas para mensurar a porcentagem da população já imune à Covid-19.

Para a finalidade, equipes da Estratégia da Saúde da Família (ESF), em parceria com os agentes comunitários de saúde (ACS), estarão em campo de terça a sexta-feira. “As equipes rodarão com pesquisadores treinados para fazer o teste no sangue de cada um daqueles que forem eventualmente abordados e toparem participar”, esclareceu o Prefeito.

O Gestor elencou os benefícios estimados por meio da iniciativa. “Além de identificar os grupos que já desenvolveram os anticorpos, a medida auxiliará na identificação daqueles ainda passíveis à contaminação pelo novo coronavírus. Essa política é central para orientar condutas preventivas e assistenciais, além de nortear o processo lento e gradual das atividades cotidianas”, explicou.

Previamente testados e saudáveis, os pesquisadores sairão às ruas devidamente paramentados, utilizando Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). “Todos os pesquisadores foram testados para Covid-19 e estarão protegidos com EPIs para que esta não seja uma oportunidade e um risco de contaminação”, garantiu.

Roberto Cláudio convocou a população a aderir ao esforço. “Além de receber o resultado do próprio exame, quem topar participar irá colaborar com um dado essencial para orientar as nossas prioridades diante de um conjunto de ações de Saúde”, enfatizou.

Até o início da próxima semana, os indicadores devem estar compilados e organizados. “Esse número vai nos ajudar em relação ao tamanho do atual risco de contaminação da população. Essa informação, regionalizada, irá nos permitir reagir com eficiência”, pontuou.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree