-->

Sem Bolsonaro, posse de Fernández na Argentina terá Lula

16 Novembro 2019

A posse do novo presidente da Argentina, Alberto Fernández, não terá a presença do presidente Jair Bolsonaro, que mandará o ministro da Cidadania, Osmar Terra, mas contará com o

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Lula já avisou aos seus assessores que quer estar na posse do peronista, que tem como vice a ex-presidente Cristina Kirchner, no próximo dia 10 de dezembro. Bolsonaro apoiou a derrotada candidatura à reeleição de Maurício Macri. Fernández, por sua vez, já disse a Lula que se sentiria honrado com a presença do ex-presidente brasileiro.

A encrenca Bolsonaro-Fernández
Depois de dizer que os argentinos escolheram mal o novo presidente, logo após a eleição argentina, Bolsonaro afirmou na sexta-feira (01/11/2019) que não iria à posse de Alberto Fernández.

“Não vou dizer que devo ou não devo. Não vou”, disse Bolsonaro, arrancando aplausos de apoiadores que o aguardavam em frente ao Palácio da Alvorada.

O presidente sinalizou, no entanto, que não pretende impor retaliações ao país vizinho e que espera do novo governo, de esquerda, a continuidade na política com o Brasil.

“Olha a Argentina na situação complicada em que se encontra. Nosso irmão do sul. Peço a Deus que dê tudo certo lá. Torci pelo outro, né? Já que ganhou, vamos em frente. Não tem qualquer retaliação da minha parte […] e espero que eles continuem fazendo uma política conosco, semelhante ao que o Macri fez até momento “, declarou.

Mais sobre o assunto

Eleito em primeiro turno, o peronista Fernández derrotou o atual presidente Mauricio Macri, que teve apoio do presidente brasileiro no início da campanha. Logo após a proclamação do resultado na Argentina, ele fez um gesto de apoio ao movimento Lula Livre no discurso de vitória e pediu que o mundo escutasse esse grito.

“Hoje [domingo] é o aniversário do Lula, um homem injustamente preso. Devemos continuar a pedir pela sua liberdade”, disse o presidente eleito, soltando, em seguida, o grito “Lula livre”.

Esse gesto irritou ainda mais o presidente brasileiro, que estava em viagem à Asia e ao Oriente Médio. Em meio ao périplo, Bolsonaro criticou a escolha das urnas no país vizinho. “Eu lamento. Não tenho bola de cristal, mas acho que os argentinos escolheram mal. O primeiro ato do Fernández foi ‘Lula livre’, dizendo que ele está preso injustamente. Já disse a que veio, sem contar que tem gente da esquerda lá”, disse.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree