-->

Jovem estuprada na UTI teve traqueia rasgada por entubação

19 Novembro 2019

O laudo que apura a morte de Susy Nogueira Cavalcante, de 21 anos — estuprada na UTI de um hospital privado de Goiânia —, aponta que os procedimentos

para entubação rasgaram a traqueia da jovem, o que culminou na embolia pulmonar.

As informações são do advogado da família, Darlan Alves Ferreira. Pelo erro, foram indiciados os médicos Frederico Dutra Oliveira e Paulo Coutinho Seixo de Brito Júnior, ambos por imperícia e homicídio culposo.

Mais sobre o assunto

Ainda segundo o advogado, a entubação tem relação direta com os abusos sofridos pela jovem na Unidade de Tratamento Intensiva (UTI) do Hospital Goiânia Leste (HGL). Susy teria pedido a uma enfermeira que chamasse o pai dela para ser transferida de hospital. O procedimento teria sido uma forma de silenciá-la.

A estudante deu entrada na unidade hospitalar no último 16 de maio após apresentar um crise convulsiva. Ela ficou internada e, segundo a titular da Delegacia Estadual de Proteção à Mulher (Deam), Paula Meotti, foi estuprada no mesmo dia. O suspeito do crime é o técnico de enfermagem Ildson Custódio Bastos, de 41 anos.

Leia a reportagem completa no Mais Goiás, parceiro do Metrópoles.


Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 369 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree