-->

Tempo de espera no Hospital de Santa Maria cai 48%

19 Novembro 2019
a nova gestão, hospital também aumentou em 30% o número de atendimentos e de internações. Taxa de ocupação hospitalar, no mês de outubro, foi de 156%

O Hospital de Santa Maria, depois que começou a administrado pelo Instituto de Saúde (Iges-DF), reduziu em 48% o tempo de permanência dos pacientes, em todos os setores da unidade hospitalar. E aumentou em 30% o número de atendimentos e de internações na comparação entre outubro e junho deste ano. A taxa de ocupação hospitalar do HRSM foi de 156,9% no mês de outubro e de 113,9% no mês de junho.

A gerente de regulação do hospital, Verônica Prado Miranda, ressalta que os pacientes da unidade passaram a esperar menos por leitos nas clínicas do HRSM – e que isso melhor  o giro da Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Os dados foram apresentados pela gerente durante reunião da Diretoria do Iges-DF para avaliar a regulação interna de leitos gerais de cada unidade (hospitais e UPAs), as ações realizadas para melhoria no tempo de permanência, giro de leitos e taxa de ocupação em enfermaria e UTI.

Também foram mostradas as melhorias proporcionadas pelo instituto, desde a sua criação – como contratação de profissionais de saúde, reformas das unidades e compra de equipamentos etc.

A gerente Verônica Prado Miranda destaca também a implantação da plataforma de ronda diária com visualização em tempo real dos leitos ocupados, livres e bloqueados, como fator importante para a melhoria alcançada no atendimento à população no Hospital de Santa Maria.

Ela ressalta também a implantação do Núcleo Interno de Regulação, que se reúne quatro vezes na semana para uma assistência precisa aos pacientes e um índice maior de desospitalização.

E destaca, também, a avaliação permanente de todas as clínicas e Pronto-Socorro para diminuir o tempo de permanência. Por fim, salienta também como importante a avaliação de prontuários para desospitalização, liberação de leitos das clínicas para UTIs e pronto-socorro no período da manhã e implantação de um grupo de higienização para agilizar a limpeza dos leitos.

Para o presidente do instituto, Francisco Araújo, todo esse esforço visa melhorar o atendimento à população com soluções de gestão. “Nosso papel é dotar a estrutura de mecanismos de gestão que proporcionem melhorias no atendimento através de processos inovadores nas unidades envolvendo todas as equipes, tanto de apoio quanto de assistência. Essa sinergia gera resultados, e tanto os usuários quanto os profissionais de saúde são beneficiados”, explicou Araújo.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree