-->

A Embaixada do Kuwait e a Câmara Àrabe de Comércio promoveram a semana cultural Brasil- Kuwait

07 Dezembro 2019

A Embaixada do Kuwait e a Câmara Àrabe de Comércio promoveram a semana cultural Brasil- Kuwait o evento foi realizado em São Paulo com diversas apresentações culturais, fotografias, caligrafia artísticas,

artesanato, músicas e apresentações.

Na cerimônia de abertura realizada na sede da Câmara Árabe, na capital paulista, personalidades, autoridades e diplomatas destacaram que o intercâmbio cultural abre caminho para outras formas de cooperação entre os países.

“As relações entre o Brasil e o Kuwait vêm se estreitando nos últimos anos de forma acelerada”, disse o presidente da Câmara Árabe, Rubens Hannun. “Mas nós sabemos que as relações, para dar frutos comerciais, têm que começar por uma conexão entre os povos. E este é um dos propósitos da Câmara Árabe desde sua fundação, promover uma conexão cultural entre brasileiros e árabes”.

” Primeiro festival no Brasil em 51 anos” destacou o embaixador Al Motairi

O embaixador do Kuwait no Brasil, Nasser Almotairi, afirmou que a Semana serve para consolidar as relações bilaterais entre os dois países e para mostrar ao público brasileiro um pouco do patrimônio cultural do Kuwait. “A cultura desempenha um grande papel na aproximação entre as civilizações”, destacou. O diplomata acrescentou que esta é a primeira vez que seu país organiza um festival cultural no Brasil desde 1968, quando foram estabelecidas as relações diplomáticas.

O diretor do Departamento do Oriente Médio do Itamaraty, Sidney Romeiro, contou que é considerado fato na diplomacia que “a cultura é um instrumento muito importante para a promoção de laços entre os países”. “A cultura promove a tolerância, combate mitos e formas de preconceito, e incentiva a aproximação entre os povos. Isso abre caminho para uma maior integração, para viagens, negócios e comércio”, declarou.

O secretário de Cultura do Ministério do Turismo do Brasil, Roberto Alvim, disse, por sua vez, que recebeu a visita de Almotairi em Brasília e que está pensando na criação de um mecanismo de “circulação de arte e cultura” entre o Brasil e o Kuwait. “Que nos permita conhecer uns aos outros”, disse. Ele prometeu ao embaixador apresentar uma proposta neste sentido até o final do mês.

Bolsonaro pode visitar o Kuwait em janeiro

Hannun lembrou da recente visita da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, ao Kuwait, e tanto Romeiro como Almotairi revelaram que existe a possibilidade do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, o Kuwait, em janeiro de 2020.

“Será a primeira visita de um presidente brasileiro ao Kuwait, um impulso nas relações rumo a um horizonte mais amplo”, afirmou o embaixador kuwaitiano. O diplomata citou uma série de instituições de seu país que têm interesse em negócios e investimentos no Brasil, em áreas como o agronegócio, energia e infraestrutura.

Acompanharam a cerimônia o secretário-nacional adjunto do Conselho Nacional de Literatura, Cultura e Arte do Kuwait, Issa Al Amsari, o caligrafo kuwaitiano Farid Al Ali, o cônsul dos Emirados Árabes Unidos em São Paulo, Salem Alalawi, o encarregado de negócios da embaixada do Bahrein em Brasília, Bader Al Hulaibi, o presidente do conselho da Câmara Árabe, Walid Yazigi, diretores da entidade, lideranças da comunidade árabe em São Paulo e outros convidados.

A banda kuwaitiana Al Takht, com o maestro Ayoub Khader:

Fotos: Brasilia in Foco

Texto adaptado: ANBA

COMPARTILHE ESSA PUBLICAÇÃO
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree