-->

Farmácias no ES não poderão vender testes rápidos a pessoas assintomáticas

26 Mai 2020
26 de maio de 2020
- Danieleh Coutinho

Curta, comente e compartilhe!

Não apenas a vontade de saber se tem ou não o vírus o fator determinante para os capixabas comprarem, em farmácias, os para o . As regras para a comercialização dos exames em farmácias no Espírito Santo foram publicadas no Diário Oficial do estado (DIO-ES) desta terça-feira (26).

Segundo elas, além de disponibilizar ao paciente suspeito máscara cirúrgica e preparação alcoólica a 70% para higiene das mãos, o estabelecimento deverá entrevistar o solicitante do teste rápido, visando evidenciar a viabilidade da aplicação do teste. “O paciente que não atender aos requisitos de viabilidade de realização do teste rápido para COVID-19 deve ser orientado quanto ao correto momento de realizar a testagem”, diz a portaria.

A entrevista deverá ser feita pelo farmacêutico, seguindo o sistema de notificação e-SUS VS. ” A instrução de uso do teste rápido deve ser considerada na decisão quanto a viabilidade de aplicação do teste, tendo como referência a janela imunológica do paciente”, informa o documento.

As regras já estão em vigor e, tão logo o paciente testado, o resultado positivo deve ser assinado pelo consumidor e o farmacêutico, cada um tendo direito a levar sua via, e a da farmácia precisa ser arquivada para o uso posterior de investigação. O descumprimento poderá ocasionar a suspensão da liberação sanitária de funcionamento.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree