-->

Lockdown no ES depende apenas da assinatura do governador Casagrande

26 Mai 2020
26 de maio de 2020
- Bernardo Barbosa

Curta, comente e compartilhe!
Foto: Dayana Souza/ESHOJE

Com onze cidades em risco alto de contaminação do quase, o governo do Espírito Santo tem, cada dia mais estruturad,o projeto de decretar lockdown.

Seja por região ou municípios, a aplicabilidade da medida radical de isolamento social depende, apenas, de uma decisão do Poder Executivo estadual.

A partir da em março, a decisão sobre o que funciona ou não e as regras da política de enfrentamento da pandemia do coronavírus no estado capixaba são de autonomia do Governo do Estado.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, ainda que o Estado siga avançando na ampliação de leitos para os cuidados com os pacientes em casos graves, é necessário defender e praticar de forma radical o distanciamento social.

“Ele é que garante o rompimento da cadeia de expansão de uma doença que não tem vacina ou tratamento. A classificação de risco usa indicadores que mostrarão o risco extremos e a necessidade de medidas radicais, entre elas o lockdown. Colaborar para não chegarmos a isso é uma responsabilidade de todos”, destacou em coletiva na tarde de segunda-feira (25).

O índice de isolamento social está abaixo dos 50%, percentual ideal pregado pelo Governo Estadual. Na região da Grande Vitória, o fechamento total do comércio não está fora dos planos da Secretaria Estadual de Saúde.

No lockdown a circulação de pessoas só pode acontecer para atividades essenciais. Quem tiver que trabalhar em atividade considerada essencial terá que apresentar documento para circular.

Nas ruas, forças militares atuam para orientar moradores a ficarem em casa. O Corpo de Bombeiros, por exemplo, reforçou que está cumprindo a função de conscientizar, mas que se o lockdown for decretado, a atuação irá mudar.

“O Corpo de Bombeiros Militar informa que vem trabalhando, dentro das diretrizes do Governo do Estado, com o objetivo de auxiliar no isolamento social e conscientizar a população sobre a importância de seguir os decretos de combate à Covid-19, para que não haja necessidade de bloqueio total. Caso venha a acontecer, a forma de atuação ainda será definida”, diz a nota.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree