-->

Mais de 5,7 mil estão curados da Covid-19 no Estado; conheça algumas histórias

27 Mai 2020
27 de maio de 2020
- Bernardo Barbosa

Curta, comente e compartilhe!
Testagem em Vitória. (Foto: Bernardo Barbosa)

Apesar do alto número de contaminados pelo (10.889 até a manhã desta quarta-feira), o Espírito Santo apresenta um número de cura superior a 50% dos casos segundo o Portal Covid-19, do Governo Estadual.  Até então 5.761 pessoas saíram ilesas após contraírem o vírus.

Dos municípios da Grande Vitória apenas Serra e Cariacica estão com o número de curas abaixo da metade do número de casos. A cidade serrana tem 2048 casos e 897 curados, o que significa 43,9%. Já Cariacica possui 1475 pessoas com a com 629 curadas, sendo 42% de casos solucionados.

Theodosio Christ Filho, 51, é metalúrgico e mora no bairro Serra Dourada, no município de Serra, maior cidade com números de caso até o momento. Mesmo com leves sintomas, foi diagnosticado com a Covid-19 e em poucos dias se recuperou.

“Fui agraciado porque meus sintomas foram como se fossem gripe leve. O desconforto começou com febre baixa, dor de cabeça e nas costas que persistiram por sete dias. Os sintomas começaram no dia 13 de março, no dia 17 fiz o exame e 21 saiu meu resultado positivo. Nesse tempo tive o auxílio de médicos da empresa, além do Corpo de Bombeiros e da Secretaria de Saúde do município que me ligaram com recorrência”, disse.

O autônomo Jean Marcos Colodetti, 50, reside na Praia da Costa, bairro com mais casos na cidade de Vila Velha e segundo município com mais números da Covid-19 no Estado, tendo 2029 pessoas infectadas e índice de 65% de cura. Sem apresentar sintomas graves, ele demorou a procurar um especialista, o que agravou sua situação.

“Tive dor de cabeça, no corpo e mal estar, mas não procurei um médico de cara por pedidos de não atrapalhar o sistema de saúde. Porém dias depois tive a perda do paladar e fui ao hospital. Lá detectaram que 50% dos meus pulmões estavam comprometidos e fui direto para a UTI. Fiquei 11 dias entubado e 9 no quarto”, explicou.

Jean Marcos ainda sente dores na garganta devido aos procedimentos a que se submeteu, mas já voltou à sua rotina normal.

O caso da técnica de enfermagem Adriana da Silva, 43, moradora de Linhares, interior do Estado, também foi delicado. Após sentir fortes dores na cabeça e no corpo, além de febre alta, ela foi diagnosticada com a Covid-19 e foi encaminhada para um hospital em São Mateus.

“Foi uma sensação ruim, de impotência. Pensei em meus filhos, minha mãe, sou filha única, e que ia morrer. Usaram a cloroquina em mim, mas me deu efeitos colaterais, meus batimentos cardíacos aumentaram e só melhorei quando a trocaram por outros antibióticos”.

Ao todo, a técnica ficou 10 dias na UTI e 8 em isolamento e observação no hospital Dr. Roberto Silvares. Com traumas no pulmão, ela ainda não voltou a exercer suas atividades e faz fisioterapia pulmonar.

No restante da Grande Vitória os índices apontam para 58% de cura em Vitória e 60% em Viana.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree