-->

Parque do Morro da Manteigueira terá deck, mirante, píer, bicicletário e trilhas

28 Junho 2020
28 de junho de 2020
- Redação Multimídia ESHOJE

Curta, comente e compartilhe!
Foto: Divulgação/PMVV
https://eshoje.com.br/wp-content/uploads/2020/06/Mantiqueira2-300x156.jpeg 300w" data-lazy-sizes="(max-width: 717px) 100vw, 717px" data-lazy-src="http://www.oguiadacidade.com.br/portal/images/obgrabber/2020-06/bd9816d4bf.jpeg" srcset="data:image/gif;base64,R0lGODlhAQABAIAAAAAAAP///yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7"/>
Foto: Divulgação/PMVV

O Parque Natural Municipal Morro da Manteigueira, que conta com uma área de 162 hectares e abriga fragmentos da Mata Atlântica e uma variada fauna, será todo reestruturado.

O projeto paisagístico e arquitetônico contempla um novo pórtico de acesso, reforma do centro de apoio ao visitante, decks, mirante, melhorias das trilhas, bicicletário, guarita e estacionamento.

Ele foi apresentado à comunidade na noite de quinta-feira (25), na quadra da sede da Mocidade Unida da Glória (MUG), na Glória, e está em consulta pública, para participar

A licitação para a execução do projeto deve ser lançada até o final deste ano. A Prefeitura de Vila Velha vai destinar R$ 7,7 milhões na estruturação do Parque do Morro da Manteigueira.

Os recursos fazem parte do financiamento externo da ordem de US$ 27,6 milhões (mais de R$ 150 milhões), obtidos junto ao Fundo Desenvolvimento Fonplata para o Programa de Requalificação Urbana, que prevê obras de infraestrutura em 30 bairros do município e a estruturação de três unidades de conservação e um parque municipal.

“Como temos prazo para utilização desses recursos e quatro anos para implantarmos os projetos, essa apresentação é uma prévia para colhermos sugestões da comunidade”, pontuou o prefeito Max Filho, que também autorizou a inclusão da proposta em consulta pública no portal da PMVV, além da inserção de um membro da comunidade local no conselho gestor do parque.

Todo o projeto foi elaborado levando-se em conta as condicionantes ambientais, elementos naturais e geográficos, adaptação de cada elemento construído ao lugar e a expressividade formal e estética, além de considerar aspectos de acessibilidade e utilização de pedras existentes nos morros dos parques como revestimento externo.

“Nós queremos que as pessoas não só daqui mas também de outros locais frequentem esse parque e se sintam confortáveis. Temos que pensar em acolher e quem sabe, mais na frente, estudar até uma possibilidade concessão para gerir o projeto”, enfatizou Max Filho.

O presidente da Associação Recreativa e Cultural Mocidade Unida da Glória (MUG) Carlos Roberto dos Santos Ribeiro (Robertinho), assim como outros moradores do bairro, que acompanharam a apresentação, aprovaram o projeto e fizeram algumas sugestões, entre as quais a inclusão de um membro da comunidade no conselho do parque, que foi prontamente acatada pelo prefeito.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree