-->

“Eu fui covardemente mandado embora”, afirma Marcelo Henrique após nota da Desportiva

10 Julho 2020
10 de julho de 2020
- Bernardo Barbosa

Curta, comente e compartilhe!

No início da noite desta sexta-feira (10), a Desportiva Ferroviária publicou

uma nota no site oficial acerca da saída de Marcelo Henrique.

Segundo o texto, o agora ex-treinador procurou o clube para discutir o futuro no cargo porque teria recebido proposta de um clube baiano. Com isso, foi feita uma reunião onde dirigentes o informaram que se o reinicio do Capixabão 2020 ocorresse somente no fim do ano, a diretoria já teria outro nome para o cargo.

“Ciente disto, Marcelinho afirmou, então, preferir o desligamento imediato, antecipando o término dO contrato, previsto para fins de outubro. Afirmou, ainda, que, há pouco, foi novamente procurado pelo clube baiano, tendo recebido uma oferta de salário bem superior ao que recebe na Desportiva e que gostaria de estar livre para negociar”, diz parte da nota.

No entanto, Marcelo Henrique contestou a nota publicada pelo ex-clube. Para ele, a diretoria já não o queria e então resolveu comunicá-lo no encontro. Além disso, foi sugerido a ele o comando técnico de uma categoria inferior.

“Eles me chamaram para a reunião ontem (quinta-feira) por volta de meio-dia. Nessa reunião, eles falaram sobre as mudanças do clube politicamente, falaram que eu atendia todos os parâmetros deles, menos tecnicamente. Foi feita a conversa sobre o desligamento. Eles vão fazer minha rescisão, ou seja, eu não negociei a minha saída. Eles literalmente me tiraram, não tem mais interesse em meu trabalho, a verdade é essa. Daí me sugeriram assumir o Sub-17 e eu não aceitei”.

abertas

Surpreso com a notícia, o ex-técnico grená ainda quis deixar a relação com o clube aberta. Porém, alegou que foi desligado do cargo de uma forma inesperada. “Eu queria deixar as portas abertas para um futuro, se tivesse que prestar meu serviço para a Desportiva eu não teria ressentimento nenhum, entendeu?! Mas não negociei minha saída em momento algum. Eu fui covardemente mandado embora sem dó nem piedade”.

Marcelo ainda confirmou que recebeu uma proposta de um clube quando o Capixabão estava acontecendo, mas prontamente negou qualquer negociação. Segundo ele, essa questão nem levada ao clube foi, somente na conversa de quinta-feira (9) que teve com os dirigentes.

“No fim da reunião eles queriam que eu desse uma resposta futura sobre o Sub-17, haja vista que esse ano não tem competição. Eu falei com eles que não, porque eu tinha recebido esse telefonema de um clube durante o Capixabão que eu falei com eles que eu não iria tratar de nada pois estava focado no trabalho e a Desportiva não sabia. Eu não levei nada para a diretoria. Como que eu tava tratando minha saída com eles? Mentira!”, afirmou.

“A Associação Desportiva Ferroviária comunica que, em reunião realizada na tarde de ontem, com a presença de membros da diretoria e do técnico Marcelo Henrique Aguiar, o Marcelinho, foi acordado que o referido profissional não permanecerá no comando técnico da equipe grená.

Nos últimos dias, Marcelinho procurou-nos e informou-nos sobre o contato feito por outro clube interessado em seu trabalho e indagou-nos sobre o seu futuro na Desportiva. Desta forma, reforçamos o interesse em tê-lo até o final do Capixabão, mas salientamos que, caso houvesse a confirmação do reinicio da competição somente no final deste ano, o clube já planejava uma nova comissão técnica, visando a temporada de 2021.

Ciente disto, Marcelinho afirmou, então, preferir o desligamento imediato, antecipando o término de seu contrato, previsto para fins de outubro. Afirmou, ainda, que, há pouco, foi novamente procurado pelo clube baiano, tendo recebido uma oferta de salário bem superior ao que recebe na Desportiva e que gostaria de estar livre para negociar.

A Desportiva reitera que não ocorreu a dispensa imotivada de Marcelinho, conforme noticiado, e, sim, em comum acordo, foi tomada a decisão de antecipar o término de seu contrato.

Nesta mesma reunião, Marcelinho foi informado do interesse do clube em contar com o seu trabalho na equipe técnica das Categorias de Base, a partir de 2021 – sendo o treinador do Sub-17 e Coordenador do Sub-15 – porém, mantendo as portas abertas para um possível retorno, afirmou que gostaria, por ora, negociar com o clube baiano.

Agradecemos ao Marcelinho por toda dedicação e profissionalismo enquanto funcionário do clube e desejamos a ele enorme sucesso.”

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree