-->

Manifestações culturais de Cariacica são reconhecidas como Patrimônio Imaterial

14 Julho 2020
EMPÓRIO MARCENARIA J. Regionalidades vc por dentro de tudo Publicidade Detran carnaval Publicidade Agência Solução SESA Aedes Aegipty Publicidade
CORONAVÍRUS - SESA Publicidade CAMPANHA VACINAÇÃO GRIPE PublicidadePublicidadePublicidade MAIO AMARELO 2020 Publicidade EMPATIA NO TRÂNSITO Publicidade

O Carnaval de Congo de Máscaras e seu personagem João Bananeira foram reconhecidos como Patrimônio Imaterial do município de Cariacica. O reconhecimento está registrado em decreto, publicado no início deste mês e representa a conquista para a cultura local. O registro é um instrumento legal de preservação, reconhecimento e valorização do patrimônio imaterial do Brasil, composto por bens que contribuíram para a formação da sociedade brasileira. O município de Cariacica faz parte da Região Turística Metropolitana.

O reconhecimento da festa, que reúne a cada ano muitos moradores e visitantes, fica preservado em suas características, não admitindo adaptações e tendo os grupos e bandas de congo de Cariacica como os protagonistas e responsáveis pelo evento.

“A iniciativa preserva a história e origem da festa e do personagem, garantindo que a sua origem seja respeitada e todas as características sejam mantidas e ainda mais valorizadas”, comenta o secretário de Estado de Turismo, Dorval Uliana.

A secretária de Cultura de Cariacica, Renata Weixter, destaca as peculiaridades da manifestação. “Nossa equipe técnica, ao fazer todo o levantamento e pesquisa, identificou pontos únicos do congo feito em Cariacica, diferente de outros locais do Espírito Santo: por exemplo, aqui temos, além das máscaras, a presença da buzina como um dos instrumentos. Além disso, o andamento do toque da percussão é mais devagar que os demais, evidenciando uma herança indígena”, destaca.

O personagem João Bananeira também está garantido nessa preservação. Tradicional participante do carnaval de Roda d’Água, o brincante teve a descrição de sua indumentária registrada, inclusive na forma tradicional de confecção das saias e das máscaras, feitas de folhas de bananeira e material reciclado.

Carnaval de Congo de Máscaras

Grande festa secular e única no Brasil e maior expressão popular de Cariacica, que ocorre anualmente no mês de abril na região de Roda D’ Água, em função do dia da padroeira capixaba, Nossa Senhora da Penha. Conta a crença popular que, diante da dificuldade de locomoção até o Convento da Penha, em Vila Velha, os moradores que viviam aos pés do Mochuara decidiram fazer uma homenagem à padroeira capixaba, saindo pelas ruas da localidade em procissões animadas por tambores de congo.

As bandas de Congo em atividade em Cariacica são: Banda de São Benedito de Piranema, Banda de São Benedito de Boa Vista, Banda de Santa Izabel de Roda D’ Água, Banda Unidos de Boa Vista, Banda de São Sebastião de Taquaruçu e Banda de Congo Mestre Itagibe.

João Bananeira

Personagem ícone e símbolo do Carnaval de Congo de Máscara. Ele se disfarça, usando máscara, cobrindo os braços de meia e o corpo rodeado por uma grande saia de folhas secas de bananeiras, além de panos de chita coloridas. Sai brincando no meio do povo. É mudo e assim como aparece sem ninguém saber de onde, vai embora ao final da festa, para manter a identidade em segredo.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree