Quinta, 13 Agosto 2020 18:19

Como lidar com as dívidas em momentos de crise econômica

Dinheiro (Pxhere)

O número de pessoas endividadas no país nunca foi tão alto.

A fragilizada economia e a crise do novo coronavírus agravaram ainda mais a situação financeira em muitos

lares brasileiros.

Uma pesquisa feita pela Confederação Nacional doComércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) mostrou que, em junho de 2020, aproporção de famílias que acumulam dívidas no Brasil chegou a 67,1% – maioríndice já registrado desde que o levantamento teve início, em 2010.

O que torna o momento ainda mais crítico é que orecorde anterior foi registrado em abril deste ano, quando o índice foi de66,6%.

O cartão de crédito, segundo a pesquisa, é o maiorresponsável pelas dívidas, com 76,1%, seguido dos carnês (17,4%) e dofinanciamento de veículos (11,7%).

Com os boletos acumulando, muita gente recorre àsopções de empréstimos disponíveis no mercado, como o crédito consignado, mesmo sem avaliar comcautela os reais benefícios e riscos dessa modalidade.

Dívidas fora do controle, emergências médicas para asquais não havia reserva de dinheiro ou até mesmo necessidade de reformasrepentinas em casa também estão entre os motivos que levam à busca por socorronos bancos e outras instituições credoras.

No entanto, contratar um empréstimo é uma decisão importante, com impacto significativo no orçamento mensal.

Deve-se avaliar criteriosamente taxa de juros, prazo para pagamento e despesas atuais, antes de tomar a decisão para que a situação não se agrave, ocorrendo o efeito contrário.

No caso do empréstimo consignado, as parcelas referentes ao montante contratado são descontadas diretamente do salário ou da aposentadoria do cliente.

A principal vantagem dessa opção é que os credores podem cobrar taxas de juros menores justamente por terem a garantia de que irão receber.

Existe também um teto para essa tarifa, ao contrário do que acontece em outras modalidades.

O valor gira em torno de 1,80% ao mês para aposentados e pensionistas do INSS; e 2,08% para servidores públicos.

As taxas para funcionários de empresas privadas variam de banco para banco.

Os juros do empréstimo consignado ainda são bem mais baixos se comparados aos do cheque especial e do cartão de crédito.

Inclusive, é possível contratá-lo mesmo com o nome inscrito no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e no Serasa.

O empréstimo não pode comprometer mais do que 35% da renda do solicitante, ou seja, salário, benefício do INSS ou pensão.

Essa porcentagem é conhecida como margem consignável e tem como objetivo evitar que o trabalhador comprometa o próprio salário mais do que deveria.

A primeira recomendação para quem recorre a uma linha de crédito é priorizar as dívidas mais caras para que sejam as primeiras a serem quitadas.

Geralmente são elas que têm os juros mais altos e, por conta disso, tornam-se difíceis de serem zeradas.

Com o valor do empréstimo disponível há a chance depagá-las de uma só vez, eliminando juros, multas e encargos.

Em algumas opções, o consumidor pode realizar portabilidade da dívida para um outro banco que ofereça melhores condições.

Basta o titular fazer a solicitação e respeitar o número mínimo de parcelas quitadas exigida pelo banco em que é cliente.

Esse percentual costuma ficar em torno de 30% a 35% donúmero total de parcelas do contrato, mas pode variar conforme a política decrédito de cada instituição.

Outra saída que deve ser considerada para sair do sufoco é tentar renegociar as dívidas diretamente com os credores, deixando claro que não é possível quitá-las dentro do prazo estipulado.

O quanto antes o consumidor mostrar interesse em resolver seus débitos, mais chances terá de conseguir um acordo bem sucedido.

Apesar dessas saídas, o melhor caminho é fazer um planejamento financeiro de longo prazo.

Anotar todas as receitas e despesas, escolher melhor onde e quando investir e, principalmente, fugir das altas taxas de juros do cartão de crédito são algumas dicas simples e possíveis de serem colocadas em prática para evitar perder o controle dos gastos e ter transtornos futuros.

Curtir isso:

Ler 8 vezes

Atendimento ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Suporte ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Depto financeiro:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Publicidade & Propaganda: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Notícias

Vídeos

Guia Comercial

Nossa Empresa

Please publish modules in offcanvas position.