Sexta, 11 Setembro 2020 11:23

Acusado de assédio, Leonardo David não é mais maestro da Secult

Foi publicada no Diário Oficial do Espírito Santo desta sexta-feira (11) a exoneração do maestro Leonardo David Nascimento de Souza. O servidor foi exonerado da Função Gratificada de Gerente, o que

significa que ele não é mais maestro adjunto da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo.

Diário Oficial desta sexta-feira (11)

Desde o mês de agosto, o maestro que fundou a Orquestra Camerata do Serviço Social da Indústria (SESI-ES), foi demitido da Findes. recebidas e apuradas pelo Comitê de Ética da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes).

Entenda o caso

Foram quase 100 relatos de vítimas que procuraram a advogada Renata Stefan para orientá-los com as denúncias. “As pessoas tinham medo de serem demitidas. A minha orientação foi para que elas encaminhassem as denúncias ao MPES”.

De acordo com a advogada, o maestro através de ameaças, xingamentos e maus tratos. A reportagem do conversou com as vítimas, que já encaminharam as denúncias ao Ministério Público do Espírito Santo (MPES) e, segundo a advogada, serão também encaminhadas ao Ministério Público Federal do Trabalho.

Procurado, Leonardo David afirmou que é inocente de todas as acusações e que jamais faltou com o respeito a ninguém. Disse que confia na apuração dos fatos, que trarão “a verdade”.

A Secretaria da Cultura (Secult) informou em nota que durante o processo administrativo interno, enquanto os fatos são apurados, o servidor efetivo Leonardo David será afastado da função de maestro adjunto. E que o servidor terá direito à ampla defesa.

A Secult reforça ainda que se as infrações denunciadas forem comprovadas, pode haver punição extrema, como demissão. O Gabinete do secretário foi procurado por musicistas e também pela Comissão de Músicos da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo e agendou conversas entre eles e o Gabinete nos próximos dias.

A Secult recebeu ofício do Ministério Público do Estado do Espírito Santo no último dia 25. O documento foi respondido com a solicitação de mais informações para o processo interno de apuração. A Secult reforça que não compactua com nenhum tipo de má conduta de seus servidores e que os questionamentos do órgão ministerial vão ser apurados e respondidos dentro do prazo solicitado.

Curtir isso:

Ler 12 vezes

Atendimento ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Suporte ao Cliente:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Depto financeiro:  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Publicidade & Propaganda: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Notícias

Vídeos

Guia Comercial

Nossa Empresa

Please publish modules in offcanvas position.