-->

“Na queda de braço, parte mais fraca são empresários”, diz Humberto Aidar sobre CPI

07 Dezembro 2019

Segundo o parlamentar, deputados não dependem de empresários e Alego possui autonomia para aprovar, mudar e revogar leis

Para Aidar, não é inteligente da parte dos empresários atacar deputados  |

Foto: Reprodução

O deputado Humberto Aidar (MDB), que já havia dito que não aceita pressão externa e que o relatório da CPI dos incentivos fiscais sairá na hora em que ele “entender que é correta”, declarou que não é inteligente por parte dos empresários atacar a Comissão, e que, nessa queda de braço, eles são a “parte mais fraca”.

Aidar fez o comentário durante sua fala sobre a reação negativa do empresariado quanto à CPI dos incentivos. Segundo ele, ao atacar a CPI e a Assembleia Legislativa, os empresários “não contribuem em nada”.

“Essa queda de braço de braço, penso, a parte mais fraca são os empresários! Aqui nós aprovamos leis, mudamos, revogamos, e aqui nenhum deputado depende de nenhum empresário”, argumentou.

O parlamentar também chegou a dizer que o entendimento de irregularidades na concessão de incentivos fiscais parte de órgãos como o próprio Ministério Público. “O MP entende que tem falha [na concessão de incentivos], e que o Estado não pode dar mais de 500 milhões para no máximo dez empresas sem uma contrapartida”, disse. Aidar afirma que o relatório final da CPI será “iminentemente técnico”, e que vai mostrar se as contrapartidas dos empresários estão, de fato, sendo cumpridas.

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree