-->

TJ-GO suspende liminar e mantém contribuição ao Protege

21 Fevereiro 2020

Decisão atende a pedido do Estado de Goiás, por meio da Procuradoria-Geral do Estado

Foto: Reprodução

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO), desembargador Walter Carlos

Lemes, suspendeu a liminar concedida pelo juízo da 4ª Vara da Fazenda Pública Estadual da Comarca de Goiânia em mandado de segurança impetrado pela STEMAC S/A Grupos Geradores, que buscava o fim da contribuição para 2020.

Assim, fica mantida a contribuição de 15% ao Protege, obrigação instituída por lei. A decisão atendeu a pedido do Estado de Goiás, por meio da Procuradoria-Geral do Estado (PGE).

O Fundo Protege foi criado para atender a determinação introduzida pelas Emendas Constitucionais nºs 31 e 42: “Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios devem instituir Fundos de Combate à Pobreza, com os recursos de que trata este artigo e outros que vierem a destinar, devendo os referidos Fundos ser geridos por entidades que contém com a participação da sociedade civil”.

Ainda no período de transição do governo de José Eliton (PSDB) para Ronaldo Caiado (DEM), na Lei 20.367/18, de convalidação dos incentivos fiscais, ficou estabelecido que os empresários que recebem incentivos fiscais deveriam contribuir com 15% sobre o valor do benefício.

Para incentivar as empresas a migrarem para o novo programa de incentivos fiscais do governo do Estado, o ProGoiás, o governo estadual oferece a redução de 15% para 10% na alíquota do Protege.


Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree