-->

Rio fecha terça-feira com mais de 50 blocos e horário antecipado no Fervo da Lud

25 Fevereiro 2020
Este ano, o Fervo da Lud promete atrair também cerca de um milhão de pessoas, segundo os organizadores - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Mais de 50 blocos saem nesta

terça-feira, 25, no Rio, último dia oficial do Carnaval no Brasil, mas que em muitas cidades de estende até sábado ou até mais, como em Salvador. Logo pela manhã, desde o horário das 7 horas, acontece o bloco Fervo da Lud, da cantora Ludmilla, que tem como tema "Verdinha", atual sucesso da cantora de funk. O horário, segundo a artista em sua rede social, "é para evitar que as pessoas fiquem muito bêbadas" e arrumem confusão, como no ano passado.

Em 2019, o bloco da funkeira foi cenário de cenas de violência, sendo obrigado a parar após apenas duas horas de apresentação depois que a polícia jogou bombas de gás lacrimogêneo e spray de pimenta para conter uma briga, o que assustou os demais participantes.

Com a correria para fugir da violência policial, muitas das mais de um milhão de pessoas foram pisoteadas e saíram feridas. Classificado como "megabloco", o acesso à apresentação recebeu o mesmo esquema de segurança de outros blocos gigantes - como o Bloco da Preta -, com grades cercando o local e revista minuciosa da polícia para chegar ao local.

Este ano, o Fervo da Lud promete atrair também cerca de um milhão de pessoas, segundo os organizadores. Se o número for confirmado, vai elevar para mais de 4 milhões o número de pessoas envolvidas no carnaval de rua carioca desde sábado.

Na segunda, 24, o Sargento Pimenta foi o que mais reuniu foliões, somando 340 mil pessoas, segundo a Riotur. Até o momento, o maior número de participantes é o do Bola Preta, 630 mil pessoas.

30 anos da Carmelita Fujona

Além do Fervo da Lu, o destaque da manhã é o Bloco das Carmelitas, há 30 anos no Carnaval carioca, que desfila nas ladeiras de Santa Teresa, também Centro. Conta a lenda que uma freira fugiu de um convento no bairro para brincar Carnaval e para não ser reconhecida outros integrantes se fantasiaram como ela, o que é repetido em todo desfile.

Na parte da tarde, a Orquestra Voadora promete levar milhares de pessoas ao Aterro do Flamengo, a partir das 13 horas.

Assim como outros blocos cariocas, este ano o grupo formado por músicos, pernaltas e acrobatas fez um apelo público para contribuições que viabilizassem o desfile. Segundo os organizadores, "são 200 músicos, 100 pernaltas, dezenas de malabaristas e acrobatas, 100 seguranças na corda e caminhão de som. sendo este último maior custo do desfile", justificaram o pedido de ajuda financeira.

Um pouco mais tarde, à 16 horas, na zona sul, sai o "Largo do Machado, mas não largo do meu copo", também já tradicional na cidade, no bairro do Largo do Machado, e no mesmo horário a histórica Banda de Ipanema, fundada em plena ditadura (1964) pelo compositor Albino Pinheiro, Ziraldo, Jaguar e toda a "Turma do Pasquim", jornal que lutou contra a censura da época.

Antigamente , o desfile da "Banda" funcionava como uma espécie de fechamento do Carnaval, e até hoje seus participantes mantém a tradição de tocar em ritmo de samba a música "Carinhoso", de Pixinguinha, compositor e músico que morreu no Carnaval e sempre é homenageado pela banda quando o desfile passa em frente à Igreja Nossa Senhora da Paz, no mesmo bairro que dá nome ao cortejo.

Deixe seu Comentário

Veja Também


Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree