-->

MP da Venezuela convoca Guaidó por 'tentativa de golpe de Estado'

31 Março 2020
O presidente autoproclamado da Venezuela, Juan Guaidó, foi convocado pelo Ministério Público - Foto: Reuters/Carlos Garcia Rawlins/Direitos Reservados

O presidente autoproclamado da Venezuela, Juan Guaidó, foi convocado pelo Ministério

Público para uma audiência na quinta-feira, 2, no âmbito de uma investigação por tentativas de "golpe de Estado" e "magnicídio" (assassinato de pessoa importante) contra o presidente Nicolás Maduro.

"Queremos informar que, como parte da investigação iniciada na semana passada por tentativa de golpe de Estado e magnicídio, emitimos uma convocação para que compareça ao Ministério Público na próxima quinta-feira o cidadão Juan Guaidó", afirmou o procurador-geral, Tarek William Saab, em uma declaração exibida pelo canal estatal VTV nesta terça.

O anúncio da procuradoria acontece no dia em que o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, deve apresentar um plano para a formação de um governo de transição na Venezuela.

O resumo da proposta afirma que o governo de Donald Trump está disposto a suspender sanções contra o país caso Maduro e Guaidó entreguem o poder a um conselho de estado de cinco membros para governar o país até que eleições presidenciais e parlamentares sejam realizadas no fim de 2020.

A agência de notícias Associated Press informa que quatro dos membros desse conselho seriam nomeados pela Assembleia Nacional, controlada pela oposição liderada por Guaidó. O quinto membro, que atuaria como presidente interino até a realização das eleições, seria nomeado pelos outros membros do conselho. Maduro e Guaidó não participariam do conselho.

Na semana passada, os Estados Unidos indiciaram Maduro por narcotráfico e ofereceram US$ 15 milhões por informações que possam levar à sua prisão. Autoridades americanas acusam Maduro de liderar um cartel de drogas que inclui outros 13 membros do governo venezuelano.

Além de Maduro, os EUA colocaram um preço de US$ 10 milhões pela cabeça de Diosdado Cabello, presidente da Assembleia Constituinte e número dois do chavismo; Hugo Carvajal, ex-diretor da inteligência do Exército; Clíver Alcalá, general reformado; e Tareck El Aissami, vice-presidente para a área econômica. (Com agências internacionais)

Deixe seu Comentário

Veja Também

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree