-->

"Fiquei cinco dias em coma" diz cônsul da Síria em MS, primeiro caso grave de coronavírus do Estado que se recupera em SP

03 Abril 2020
Kabril Yussef, de 67 anos - Foto: Arquivo Pessoal

“Fiquei cinco dias em coma sem saber o que estava acontecendo”. A frase é do cônsul da Síria em Mato

Grosso do Sul, Kabril Yussef, de 67 anos, o primeiro paciente grave com coronavírus detectado de MS. Ele deu entrada no Proncor da Capital no dia 14 de março e no dia seguinte foi transferido para o Sírio-Libanês. Passou, portanto, 18 dias na UTI. Hoje se recupera internado no hospital Sírio Libanês e falou com o jornal a Crítica com exclusividade sobre o período que está vivendo. "Nasci de novo", comemora o cônsul lembrando a gravidade da doença. "É muito perigosa. Precisamos nos cuidar", frisou ele.

Comerciante tradicional da Capital, Yussef tem uma loja de utilidades domésticas na 15 de novembro e conta como foi a experiência e sua luta para tratar da doença. Ele ainda precisará ficar internado, porque respira com a ajuda de oxigênio, mas sem ventilador no hospital de São Paulo. Após dias difíceis, ele conta que teve melhora no quadro de saúde e deixou a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) nesta semana.

Yussef lembra que sentiu-se mal na sexta-feira dia 14 e março. “Estava com febre alta e então fui ao Proncor. Depois fui encaminhado às 22 horas para o Proncor do Cachoeirinha, fui muito bem atendido pelos médicos de MS. Não posso reclamar”, elogia falando da qualidade da equipe de médicos que o atendeu na Capital. No entanto, o cônsul lembra que sua situação piorou no sábado e ele teve que ser intubado. “Aí o hospital ligou para a minha família dizendo que minha situação era gravíssima, fui entubado. Eles avisarma a família que imediatamente contratou uma UTI móvel para me levar a São Paulo”, destacou.

“Quando era meia-noite o jato chegou e me levram para o Sírio Libanês. Aí eu não acordei mais. Fiquei cinco dias em estado de coma sem saber o que tava acontecendo. Mas Graças a Deus melhorei bem. Vou ficar mais 15 dias aqui, mas estou bem” agradece.

Um dos profissionais de saúde que atenderam o cônsul, o renomado cardiologista Roberto Kalil, diretor do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês, foi internado na segunda-feira (30) após apresentar febre, tosse e mal-estar. “Fiquei assustado”, declarou o médico. Ele lembrou que os profissonais da saúde da linha de frente da guerra contra o novo coronavírus têm sofrido desfalques, devido ao número de infecções significativo.

Cuidados - "A doença é perigosa as pessoas devem tomar os cuidados. Lavar as mãos sempre antes e depois das refeições, usar máscaras ficar isolados quietos", recomendou o cônsul. Sobre sua recuperação que supreendeu até os médicos ele diz que foi graças a Deus. "Cheguei a ficar com quase todo meu pulmão comprometido, tendo que usar oxigênio. É um milagre", finalizou agradecendo as quase 2 mil ligações que recebeu e o apoio de amigos e familiares do Brasil e da Síria.

Deixe seu Comentário

Veja Também

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree