-->

Renda mínima só com mais imposto, diz Mansueto

30 Junho 2020

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, disse ontem que a prorrogação do auxílio emergencial terá um custo extra de pelo menos R$ 100 bilhões. O secretário,

que deixará o cargo no próximo mês, afirmou ainda que a criação de novos programas sociais (como renda mínima) poderá exigir aumento de impostos no futuro.

Mansueto confirmou que o governo avalia o pagamento de mais duas parcelas de R$ 600 ou o pagamento de mais parcelas, com redução escalonada de valor - como anunciado semana passada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Em ambas os casos, o custo seria o mesmo, levando a projeção de déficit nas contas públicas deste ano para mais de R$ 800 bilhões. "A renovação de auxílio emergencial pode levar o déficit primário a 11,5% do Produto Interno Bruto (PIB), com um déficit nominal de 15% do PIB, no nível dos Estados Unidos", disse ele.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Deixe seu Comentário

Veja Também

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree