-->

Assinado acordo para viabilizar recursos 'verdes' ao Mais Luz para a Amazônia

15 Setembro 2020
O Mais Luz para a Amazônia visa estimular a instalação de painéis solares e baterias nas regiões isoladas da Amazônia - (Foto: Herton Escobar/Estadão)

O Ministério de Minas e Energia e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) assinaram nesta terça-feira, 15, um acordo de cooperação técnica que visa elaborar soluções financeiras que reduzam o custo dos investimentos necessários para implantação do programa Mais Luz para a Amazônia.

Uma das formas de efetivar essa redução é qualificar o projeto como beneficiário dos recursos do Green Climate Fund (GCF), apontou o MME. "A aprovação de projetos no GCF gera, por exemplo, um 'selo verde' de entidade internacionalmente reconhecida, agregando valor à imagem das empresas envolvidas", disse a pasta.

Lançado em fevereiro, o Mais Luz para a Amazônia visa estimular a instalação de painéis solares e baterias nas regiões isoladas da Amazônia, hoje atendidas por geradores a diesel. O atendimento de famílias de baixa renda e inscritas em programas sociais será prioritário, assim como para os que residem em unidades de conservação. Os investimentos estimados estão em mais de R$ 3 bilhões.

"Dado o significativo impacto social e econômico e também de preservação ambiental, que são pilares do Programa, aliado à expertise do BNDES, tenho certeza que a celebração deste acordo permitirá um trabalho em conjunto que qualificará o Programa para obtenção de recursos de fundos internacionais", afirmou ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, durante a cerimônia.

De acordo com o ministério, o financiamento tem duas vertentes. Um deles é direcionado às distribuidoras de energia para a instalação de infraestrutura necessária para implementar o programa. O outro tem foco nas comunidades locais, visando à assistência técnica para preparação e implementação de projetos de atividades produtivas sustentáveis na localidade beneficiária.

As linhas de financiamento, à princípio, terão prazo de 20 anos, com cinco anos de carência para início da amortização.

Banner Whatsapp Desktop

Deixe seu Comentário

Veja Também

Mais Lidas

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree