-->

Moda masculina: uma questão cada vez mais de estilo e menos “de moda”

17 Janeiro 2020

Homens declaram independência e criam seus próprios estilos Protagonismo, autenticidade, ousadia e liberdade são palavras cada vez mais atuais para descrever o que anda acontecendo no universo da moda
masculina. Menos presos a conceitos de certo e errado na hora de se vestirem e mais conectados com sua própria identidade, os homens estão mudando radicalmente a experiência de consumo. De meros coadjuvantes das mulheres, mães, irmãs e amigas, hoje são eles mesmos que escolhem e compram suas roupas. “Percebo uma personalidade mais forte. Os homens começaram a ir às lojas, a criarem seus próprios estilos. E o bacana é ter estilo. Não é seguir moda”, observa a gerente geral de Desenvolvimento de Produtos da Sketch Moda Masculina, Mônica Sant’Anna. “Até há bem pouco tempo, nunca tinha visto um noivo vir sozinho para comprar o look do casamento. Hoje isso acontece muito. Os homens estão pesquisando na Internet antes de vir às lojas, e a gente que lida diretamente com os clientes aprende muito com eles”, completa o gerente da loja Sketch no Shopping Jardim Norte, João Afonso de Oliveira Neto, que acumula 12 anos de experiência no ramo. “Tem clientes que chegam já com todas as informações sobre composições ideais e tendências. Tem também os que não sabem muito e contam com nossa expertise”, observa João, ao destacar que o importante é deixá-los à vontade e ter paciência para sondar seus desejos e interesses. Acervo Sketch Divulgação Do trabalho à happy hour sem pit stop para trocar de roupa Para atender perfis tão variados de consumidores, em momentos distintos que vão dos eventos sociais a reuniões executivas, a indústria teve que adaptar sua produção, incluindo novidades nos tradicionais costumes masculinos. Assim, o arsenal composto de ternos, blazers, calças e camisas ganhou conforto e modernidade com a utilização de materiais, a exemplo do elastano, e da incorporação de detalhes em texturas e corte que oferecem mais mobilidade às peças, inclusive para composições que permitem sair de um evento de trabalho e engatar, em seguida, um encontro despreocupado com amigos para uma happy hour, fazendo pequenas adaptações. Entre elas, dispensar o paletó, dobrar a manga, tirar a gravata. Para os que desejam um visual mais inovador, com um look ousado, a dica do gerente da Sketch está no tom das camisas para a composição do terno. Sai a lisa tradicional e entra em cena o modelo com poás, marcas d’água e outros pequenos grafismos, além de novas cores e novos padrões. “O mesmo ocorre com as gravatas que estão cada vez mais identificadas com o perfil do cliente”, acrescenta João Neto. Outra peça que não pode faltar no guarda-roupa masculino é o blazer, mas agora ele aparece também em cores mais suaves, para ampliar o leque de combinações e se aproximar dos estilos individuais. “Ele compõe muito bem qualquer look. Combina com calça social, de sarja e até mesmo jeans. É uma ótima opção para quem não quer usar terno”, sugere o gerente da Sketch, que aconselha a compra de modelos em azul claro, sempre com um detalhe, como o magnetado, e o corte slim. “Para acompanhá-lo, a opção é a camisa mais clara, como rosa, azul (tom sobre tom) ou cinza”. Na linha de sapatos, tanto para ternos, como blazers, a dica para não errar são os modelos de couro animal com conforto de tênis e solado em new light para não escorregar. Inspiração que vem dos homens de atitude Gerente geral de Desenvolvimento de Produtos da Sketch, a especialista em moda masculina, Mônica Sant’Anna, explica que a inspiração para oferecer peças de bom gosto e versatilidade “vem dos homens chiques, que traduzem equilíbrio ao se vestir. Viajo com muita frequência e estou sempre vendo as tendências da Itália. Os italianos são naturalmente elegantes em seus trajes e costumes e passam essa imagem de segurança, confiança e poder. A minha inspiração maior, porém, são os homens com atitude”, observa a gerente, ao destacar a fabricação própria da Sketch em maquinário italiano. “A gente entrega ao cliente, em todos os preços, o melhor traje do mercado, considerando todo tipo de evento, para diferentes ocasiões durante todo o ano. Do preço inicial de R$ 299 para os ternos, vamos para os trajes intermediários com microfibras mais refinadas e, depois, temos o top que é o PV, o poliéster com viscose. É uma fibra muito forte acrescida do toque sedoso da viscose. Por fim, temos a lã que é única, maravilhosa, que ninguém consegue imitar em laboratório, com um custo/benefício excepcional. É um material térmico. Se o tempo estiver quente, ele resfria. Se estiver frio, ele esquenta. O terno de lã é o grande coringa para quem mora em um país tropical como o nosso”, esclarece a gerente. O conjunto completo é vendido a R$ 1.780. Além dos ternos que são o carro-chefe da Sketch, a loja ainda oferece T-shirts, camisas polo, social manga curta e longa, blazers, bermudas, jeans com detalhes e em diferentes lavagens, calças sociais avulsas, sapatos, meias, cintos, cuecas, sungas e carteiras. Vale a pena conferir! Acervo Sketch Divulgação Terno impecável? Se ligue nas oito dicas de alfaiataria Além da enorme diversidade de produtos à disposição dos clientes, a Sketch ainda treina seus vendedores em alfaiataria, para adequar os modelos ao perfil do cliente, garantindo a máxima perfeição. De nada adianta comprar uma peça, da mais simples à mais cara, se ela não estiver alinhada ao corpo. Por isso, fique ligado nas dicas: 1. A manga da camisa deve aparecer na composição do look. Por isso, o comprimento da manga do paletó deve ser dois centímetros menor que o da camisa. 2. O encurtamento da manga do paletó permite que a peça seja usada como blazer em outras combinações, a exemplo de calças jeans e de sarja. Cria-se, assim, uma peça coringa, versátil para diferentes ocasiões. 3. É fundamental que os ombros do paletó estejam muito bem alinhados com o corpo. Não pode sobrar nada fora da linha corporal. 4. Não deve haver tecido demais entre as pernas da calça do terno. Por isso, se necessário, é preciso fazer um ajuste nas entrepernas. 5. O comprimento da calça deve estar alinhado simetricamente ao sapato, rente ao chão. A melhor opção é marcar a bainha com os pés descalços. 6. A calça deve estar acinturada, para isso é preciso ajustá-la ou, às vezes, abrir um pouco a costura, para que a peça fique perfeita no corpo. 7. O ajuste do terno deve ser todo feito com a roupa no corpo. 8. Ao procurar um terno, dê preferência a lojas que tenham alfaiates experientes e vendedores especializados em alfaiataria. Afinal, serão eles que farão as marcações nas peças. Sketch Moda Masculina Shopping Jardim Norte - Juiz de Fora Av. Brasil, 6.345 (32) 3321-4298

Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 12953 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree