-->

Pacientes aguardam dias por leitos no Hospital Samuel Libânio, em Pouso Alegre, MG

23 Janeiro 2020

Problema se concentra no setor de internação pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Pacientes aguardam dias por leitos no Hospital Samuel Libânio, em Pouso AlegrePacientes têm tido que aguardar
dias por um leito no Hospital das Clínicas Samuel Libânio (HCSL) em Pouso Alegre (MG). Enquanto vagas não são liberadas, eles têm que aguardar em corredores, em meio a familiares, e expostos a diversos tipos de doenças. O problema se concentra no setor de internação pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Os pacientes nas macas se acumulam nos corredores. São pessoas com diferentes problemas de saúde à espera de um lugar na enfermaria ou nos quartos. Sem vagas, muitos procedimentos médicos são feitos ali mesmo. O filho dessa mulher, que por medo, não quer se identificar, está no corredor do hospital há quatro dias. Ele tem meningite. “Ele não poderia estar ali. Ele tem que ficar, pelo o que eu sei, isolado. Não podia ficar ali tendo contato com outras pessoas com outro tipo de problema", diz a mãe. Pacientes aguardam por leitos no Hospital Samuel Libânio, em Pouso Alegre Reprodução EPTV Ao todo, são atendidas quase 20 mil pessoas todo mês no hospital, que atende 153 cidades da região. No entanto nem sempre o atendimento é o mais adequado. No corredor há dois dias, um rapaz precisa operar o quadril. "Está complicado porque a gente veio para cá pensando que seria uma situação e chegou aqui era outra. Falaram que ia levar ele pro quarto e deixaram ele no corredor. Ele está com uma bactéria na perna e não pode ficar onde tem muita gente”, diz a noiva, que também não quis ser identificada. Procurado pela EPTV Sul de Minas, afiliada Rede Globo, o HCSL disse que não pode recusar atender os usuários do SUS e que, atualmente, são 238 leitos destinados ao sistema. Disse ainda que frequentemente a quantidade de pacientes que necessitam de leitos ultrapassa a quantidade disponível, mas que a espera é de no máximo 48 horas com a internação no pronto socorro. A administração ressaltou ainda que a dívida do estado com o hospital é de mais de R$ 37 milhões. Hospital Samuel Libânio tem R$ 37 milhões a receber do Estado, segundo a direção Reprodução EPTV Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas

Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 8790 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree