-->

Em Juiz de Fora, clima de folia vira oportunidade para fabricação de acessórios para o carnaval

24 Fevereiro 2020

Época festiva pode ser uma ótima iniciativa para ganhar dinheiro extra e se aventurar em um negócio próprio. Analista do Sebrae dá dicas para quem pretende empreender na área.
Dias de Glitter surgiu como ideia das amigas Carolina e Tatiana em Juiz de Fora Carolina Leles/Arquivo Pessoal O carnaval é uma época de ideias criativas que surgem a todo momento. Até a criação de uma fantasia inovadora para chamar atenção nos blocos de rua pode ser tornar um negócio. A produção artesanal de acessórios, customizações de abadá, fabricação de ombreiras, coroas e arquinhos podem ser uma forma de ganhar um dinheiro extra no início de ano e até se aventurar para abrir um empreendimento. O G1 conversou com as jovens Carolina Leles e Ana Luísa Mattos, que há dois carnavais investiram na produção manual de acessórios e comercializam pelas redes sociais em Juiz de Fora. A reportagem também mostra dicas do um analista do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Tarcísio Fagundes, sobre como tornar essas ideias lucrativas. Histórias entre purpurinas, tecidos e agulhas Coleção de carnaval 2020 da Dias de Glitter Dias de Glitter/Divulgação A estudante e confeiteira Carolina Leles, de 26 anos, é uma apaixonada por carnaval. Já produzia tiaras para usar na folia e para as amigas, mas sempre como um hobby. A confecção era tão bem feita que as colegas começaram a incentivar a jovem a vender as criações. A parceria surgiu com a amiga Tatiana Breckenfeld, de 24 anos, que apesar de não gostar da folia, adora realizar trabalhos manuais. Em 2019, nasceu a Dias de Glitter, que entra no segundo ano de produção de peças para o carnaval. Tiara da Dias de Glitter Dias de Glitter/Divulgação É através da página do Instagram, com quase dois mil seguidores, que as duas mostram as peças fabricadas e recebem encomendas, que geralmente começam a surgir em janeiro. "Durante o resto do ano, nós duas nos dedicamos a faculdade. Mas em épocas de festas a fantasia, ou eventos especiais, procuram a gente para encomendas", contou Carolina. Em 2020, as procuras maiores foram por tiaras de sereia e ombreias. "As ombreias foram uma grande surpresa pra gente. Não imaginávamos que fariam tanto sucesso, principalmente as nossas de fitas coloridas e girassóis", explicou a jovem. As tiaras custam entre R$ 35 e R$ 40 e as ombreiras custam R$ 35 o par. Ombreiras produzidas pela Dias de Glitter Dias de Glitter/Divulgação As vendas ocorrem exclusivamente pela internet e como o público é de Juiz de Fora, elas encontram com as clientes para realizarem as entregas. O caso é parecido com o da advogada Ana Luísa Mattos, de 29 anos, que também há dois anos se aventurou na produção dos acessórios, porém através de uma ocasião inusitada: ela começou a produzir enquanto visitava a avó, que ficou internada em um hospital na época do carnaval de 2019. Um dos acessórios da Loulou Acessórios Loulou Acessórios/Arquivo Pessoal "Sempre adorei a montagem do carnaval e fazia acessórios para todas as amigas. No ano passado, estava de férias no período do pré-carnaval e minha avó ficou muito doente, foi internada no Centro de Tratamento Intensivo (CTI). Eu comecei a fazer os acessórios como uma forma de passar o tempo até chegar o horário de visitá-la", contou Ana. Como ela havia produzido mais acessórios do que ela e as amigas conseguiriam usar, surgiu a ideia de vende-los através de uma página no Instagram. Começou então a LouLou Acessórios. Arco de borboletas produzido pela Ana Luísa Loulou Acessórios/Arquivo Pessoal No resto do ano, a advogada trabalha em escritório e faz os acessórios durante o tempo livre. "Na época de carnaval, o 'tempo livre' acaba sendo de madrugada", brincou a jovem. A campeã deste ano foi a customização de roupas e acessórios. Ana Luísa revelou que o maior número de encomendas foi para personalização do abadá do Come Quieto, um dos eventos particulares mais tradicionais de carnaval na cidade. Entre as tiaras, as mais pedidas são para combinar com fantasias, como de sol, pirata, lua e palhaço. A advogada revelou que produziu mais de 50 unidades, entre arcos e presilhas, durante o período. A venda é exclusivamente pela internet e para o público de Juiz de Fora. Oportunidades A estudante de moda Caroline Maciel sempre fica de olho nas tendências. Ela aproveitou o período de férias para agilizar a produção, já que a época é uma oportunidade de renda para a estudante que veio de Santos Dumont. Mesmo com programação, ainda tem folião que deixa para comprar os acessórios na última hora. “O que mais acontece é quando encomendam de última hora. E por conta disso eu coloco uma data limite para poder pegar a encomenda e me programar”, conta. Caroline sempre fica de olho nas tendências TV Integração/Reprodução A arquiteta Fabiana Assis começou a produzir os acessórios em 2017. Ela precisava de dinheiro para curtir o carnaval. Entretanto, o negócio cresceu tanto que no ano passado, ela chamou a amiga Débora Ventorin para fazer parte da equipe. Atualmente, elas até terceirizam serviço. O material usado vem de São Paulo e elas capricham no brilho. Os acessórios infantis e o porta lata com alça estão entre as novidades para este ano. “Nos organizamos e começamos a produzir no ano passado, para que agora tivéssemos estoque e modelos definidos. Assim conseguimos vender mais”, explicou Fabiana. Arquitetas já pensam em expandir o negócio para outras épocas festivas do ano Reprodução/TV Integração As duas já pensam em ampliar a marca e estão de olho em outras datas comemorativas. “Trabalhar com essas datas marcadas é bom porque conseguimos programar nossa produção. Então o carnaval é uma época, festa junina pode ser outro momento, festa de Halloween também tem muita busca”, destacou a também arquiteta Débora. Ótima época para testar produtos e ideias, diz analista Arco de estrelas produzido pela LouLou Acessórios LouLou Acessórios/Arquivo pessoal O G1 também conversou com Tarcísio Fagundes, analista do Sebrae em Juiz de Fora. Para ele, o surgimento de negócios no carnaval é um ótimo momento para a realização de testagem de produtos. "Data comemorativa é uma boa época para a pessoa testar a ideia, o produto e se testar como vendedor. Como é uma coisa pontual. As pessoas possuem mais coragem e adquirem experiência", explicou o analista. Essa testagem é importante para saber onde errou e onde acertou. "A partir disso, pode estabelecer onde se deve aprimorar, seja nas técnicas, no design ou na gestão do negócio", complementou Tarcísio. O Sebrae oferece, de forma gratuita, consultoria para micro e pequenos empreendedores, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30, na sede localizada na Avenida Olegário Maciel, 436, Bairro Santa Helena. "É importante para quem está começando e está com ideias procurar entender o mercado, para conseguir dar essa continuidade. No Sebrae, explicamos sobre a apuração do preço de venda do produto, o controle financeiro, o público alvo e o canal de divulgação", reforçou Fagundes. Entre os canais de divulgação, o mais popular é a internet, como é o caso de Ana Luísa, Carolina e Tatiana. Porém, existem diversas plataformas que se encaixam em cada tipo de produto, e o conseguir se destacar no mercado online também demanda estudo. "Para comercializar na internet, o empreendedor deve fazer da melhor maneira possível para não ficar cansativo para o cliente", explicou Tarcísio, que afirmou que os consultores também abordam o tema de venda online.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree