-->

Primeiro palhaço negro do país nascido em Pará de Minas é homenageado em desfile do Salgueiro

25 Fevereiro 2020

Escola desfilou no Sambódromo da Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro, na madrugada desta terça-feira (25). Benjamim de Oliveira nasceu em 1870 e revolucionou a história do circo
e teatro no Brasil. Benjamim de Oliveira, mineiro e primeiro palhaço negro do país, é homenageado em desfile do Salgueiro Alexandre Durão/G1 Benjamim de Oliveira, nascido em Pará de Minas e o primeiro palhaço negro do Brasil, foi homenageado no samba-enredo da Acadêmicos do Salgueiro no carnaval 2020. A escola desfilou Sambódromo da Marquês de Sapucaí na madrugada desta terça-feira (25), no Rio de Janeiro. O artista, nascido em 11 de junho de 1870, revolucionou a história do circo e teatro no país. A comissão de frente apresentou Benjamim, que aparecia ainda menino e se transformava, em sonho, no homem conhecido como palhaço, mas que ainda foi cantor, diretor, ator, dançarino e compositor. Veja como foi o desfile do Salgueiro Vídeos: melhores momentos do desfile do Salgueiro Em uma das alegorias, Benjamim foi interpretado pelo do ator Aílton Graça. A vida e história do palhaço transformadas em samba-enredo foi noticiada pela TV Integração em setembro de 2019. Na ocasião, o carnavalesco Alex de Souza membro da Salgueiro, enviou um vídeo para a produção da TV explicando o porquê da escolha do homenageado. (Veja vídeo abaixo) "Eu estava em busca de um enredo que fosse realmente emocionante, um enredo que tocasse. E fazendo uma pesquisa sobre o Rei Momo esbarrei com Benjamim de Oliveira. Eu estava fazendo uma pesquisa sobre a obra Guarani e esbarrei no Benjamim de Oliveira. E parecia que uma voz me disse assim 'porque você não faz Benjamim de Oliveira?', e aí eu comecei a pesquisar, procurar data de nascimento e morte. A coincidência foi que ele completará, em 2020, 150 anos. Uma história de vida que foi um grande exemplo para todas as pessoas, um grande gênio. Quando se fala em Benjamim de Oliveira naturalmente se fala em ser o primeiro palhaço negro do Brasil, só que acho que isso é pouco diante de tudo que ele foi capaz de fazer", contou o carnavalesco. Nascido em Pará de Minas, primeiro palhaço negro do país será tema de samba no carnaval Benjamim de Oliveira Filho de escravos, Benjamin de Oliveira teve uma infância sofrida, ele apanhava muito do pai. O menino morava na zona rural de Pará de Minas e ia para a região central vender quitandas, para ajudar a família. Aos 12 anos ele estava na Praça Francisco Torquato, quando viu um circo e resolveu fugir. Com a trupe do circo Sotero, Benjamim viajou pelo sertão mineiro e fez de tudo um pouco. No Museu Histórico da cidade há muito pouco sobre a vida do palhaço: por ser uma história mais antiga e também porque Benjamim ficou conhecido primeiro no Rio de Janeiro e em São Paulo. O que se sabe da época é que ele virou palhaço por acaso, depois que um profissional não conseguiu se apresentar no circo. O artista negro pintava o rosto de branco, dizem que era para fugir do preconceito. Benjamim de Oliveira, primeiro palhaço negro do Brasil Reprodução/TV Integração Em entrevista concedida em 2019 ao G1, o secretário Municipal de Cultura de Pará de Minas, Paulo Duarte, comentou sobre a escolha do Salgueiro. "O legal de todo processo é o interesse da escola em retratar, através da história do Benjamim, a força que as minorias têm hoje em dia, a força do artista negro, quantos conseguem hoje o reconhecimento do trabalho", disse na época Paulo Duarte. Comissão de frente do Salgueiro mostra os sonhos de criança de Benjamin de Oliveira Estátua Atualmente o palhaço é lembrado em um dos principais cartões postais de Pará de Minas. A obra no Parque do Bariri foi inaugurada em 2013, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. A estátua em homenagem a Benjamin foi esculpida em bronze e traz características bem reais do artista. Por fotografias, dá para perceber que o palhaço era bem magro e pequeno, tinha no máximo 1,70 m de altura. O desfile Ao longo do desfile, o Salgueiro explorou a fase cigana da vida de Benjamin, terminando com seus outros talentos. O artista levou peças de Shakespeare ao circo, além de ser o primeiro negro a aparecer no cinema. O desfile ainda mostrou um grande picadeiro a céu aberto na segunda alegoria e os diferentes palhaços de Benjamin, com uma grande estátua que colocava e tirava uma máscara com seu rosto. A evolução da comissão de frente do Salgueiro Alexandre Durão/G1 Veja abaixo a íntegra do desfile do Salgueiro. Salgueiro - Grupo Especial (RJ) - Íntegra do desfile de 24/02/2020

Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree