-->

Corpo de Bombeiros retira enxame da casa de idosos em Francisco Sá

31 Março 2020

Retirada foi feita durante o período da noite, horário no qual os insetos estão menos agitados. Após a captura, o enxame foi solto em um local onde não ofereceria
riscos. Militares fizeram retirada do enxame durante no período da noite, quando abelhas estão menos agitadas Corpo de Bombeiros / Divulgação O Posto Avançado do Corpo de Bombeiros em Francisco Sá (MG) atendeu a primeira ocorrência desde que encontrou em funcionamento nesta semana. Os militares retiraram um enxame, da popularmente conhecida, “abelha-europa” de uma casa onde moram idosos. A retirada foi feita durante o período da noite, horário no qual os insetos estão menos agitados. Segundo o Corpo de Bombeiros, as abelhas podem ocasionar choque anafilático – reação do organismo em caso de alergia a determinas substâncias. O choque pode ter como consequência os inchaços que, por sua vez, obstruem e prejudicam a respiração. Após a captura, o enxame foi solto em um local onde não ofereceria riscos. O Corpo de Bombeiros destaca que o acionamento do Posto Avançado pode ser feito pelo telefone (38) 3233-1765 ou pelo 193. As chamadas para o último numero serão atendidas em Montes Claros e destinadas ao P.A., em breve, as ligações via 193 serão atendidas diretamente em Francisco Sá. Saiba mais sobre a abelha Nome Científico: Apis mellifera Família: Apidae Ordem: Hymenoptera Distribuição: Originárias do Norte da Europa e Centro-oeste da Rússia, provavelmente estendendo-se até a Península Ibérica. Hoje a espécie está introduzida em boa parte do mundo. Habitat: Savanas, florestas tropicais, desertos, regiões litorâneas e montanhosas. Alimentação: Como precisam de água, carboidratos (açúcares), proteínas, vitaminas, sais minerais e lipídeos (gorduras) para sobreviver, esses nutrientes são retirados da água, mel (néctar) e pólen das flores, mas também podem ser encontrados em outras substâncias usadas pelas abelhas como alimento (caso do caldo da cana-de-açúcar, sumo de caju, xarope de açúcar, goma de mandioca, vagem de algaroba, farelo de soja, entre outros). Reprodução: A rainha ocupa-se exclusivamente de colocar ovos: cerca de 3 mil/ dia. Quando uma colmeia necessita de uma fêmea fecunda, as obreiras constroem um alvéolo maior e nele são depositados todos os ovos fecundados. As larvas desses ovos recebem uma alimentação especial e convertem-se em rainhas. Como em cada comunidade só pode viver uma rainha, gera-se uma disputa para ver quem assume o comando. As vencidas são expulsas da colmeia. Os zangões são os elementos improdutivos da colônia. Sua única função é fecundar a rainha. Saiba mais: Existem várias raças da Apis mellifera introduzidas no Brasil. No caso desta, conhecida também como abelha-da-europa, é formada por indivíduos grandes e mais escuros, com poucas listras amarelas no corpo. Outra característica peculiar a esta raça é que ela possui língua curta (de 5,7 a 6,4 mm), que geralmente dificulta o trabalho em flores profundas, além de serem nervosas e irritadiças (o que pode torná-las agressivas em caso de manejo inadequado). Por outro lado, adaptam-se com facilidade a diferentes ambientes e geram própolis em abundância (principalmente em regiões úmidas). A exemplo de outros insetos, esta abelha apresenta um esqueleto externo chamado exoesqueleto, que lhe confere proteção aos órgãos internos e a própria sustentação para os músculos. O corpo é dividido em três partes: cabeça, tórax e abdome. A primeira apresenta um par de olhos compostos localizados lateralmente, três olhos simples (ocelos) na região frontal da cabeça formando um triângulo, duas antenas localizadas na região frontal mediana e o aparelho bucal composto por duas mandíbulas e uma língua. No segundo, o tórax, estão presentes 3 pares de patas e 1 par de asas membranosas. Já no abdome fica o ferrão, que pode causar reações alérgicas em pessoas sensíveis e, dependendo do número de ferroadas, chega a ser fatal. O enxame pode atacar e provocar a morte de animais. A Apis mellifera mede, em média, 1 centímetro de comprimento. Abelhas foram soltas em local onde não oferece riscos Corpo de Bombeiros/ Divulgação Veja mais notícias da região em G1 Grande Minas.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree