-->

Prefeitura de Cláudio decide avançar para a Onda Verde após decisão semanal do 'Minas Consciente'

15 Setembro 2020

Com a mudança é possível a liberação dos serviços não essenciais com alto risco de contágio. Executivo estabeleceu regras para a retomada das atividades. Prefeitura de Cláudio decide progredir
para a Onda Verde do "Minas Consciente" Prefeitura de Cláudio/Divulgação A Prefeitura de Cláudio decidiu progredir para a Onda Verde do programa "Minas Consciente". A decisão foi divulgada nesta segunda-feira (14). A progressão de onda é devido a avaliação semanal do Estado e valerá até sexta-feira (18). Na Onda Verde, é autorizada a abertura de serviços não essenciais com alto risco de contágio. A Prefeitura de Cláudio elaborou um guia de atividades e estipulou regras para todos os setores autorizados a funcionar (veja abaixo). Cláudio está na macrorregião Oeste, que está apta para integrar a Onda Amarela - que permite a reabertura de serviços não essenciais. A microrregião da qual fazem parte, no entanto, está autorizada a entrar na Onda Verde. Neste caso, cabe ao município optar em qual onda seguir. Guia de atividades De acordo com o Guia da Prefeitura, os eventos, quando ocorrerem, estão submetidos às regras de aglomerações da Deliberação 17 relativo ao número máximo de pessoas: Realização de eventos e reuniões de qualquer natureza, de caráter público ou privado, incluídas excursões e cursos presenciais, até 30 trinta pessoas (art. 2 I da Deliberação nº17/22.03.2020) Atrativos culturais como museus, galerias, bibliotecas e patrimônio cultural, de forma geral, podem voltar as atividades, desde que seja respeitada a métrica de uma pessoa por 10m². Realização de encontros, palestras, seminários ou eventos deverá ser realizado para, no máximo ,30 pessoas, garantindo o limite de 50% de ocupação do espaço e as diretrizes de distanciamento social. Para academias, campos de futebol, quadras privativas e estúdio de pilates, devem ser observadas as seguintes limitações: Limitação por metragem (4m²); Preferencialmente, horário agendado; Usuários responsáveis pela higienização dos assentos e manoplas antes de cada utilização; Termômetro na porta; 2 metros de distância entre os equipamentos (3 metros no caso de equipamentos de exercícios aeróbicos). Microrregiões Em agosto, o programa Minas Consciente foi reformulado e passou a considerar os dados de 67 microrregiões do Estado, permitindo que elas sejam divididas por ondas, considerando as especificidades de cada local, sistema público de saúde e número de casos de coronavírus. Contudo, caso uma microrregião esteja em uma onda diferente da definida para a macro, caberá ao prefeito decidir qual diretriz seguir. Serviços que podem funcionar de acordo com as ondas do programa Governo de Minas/Divulgação Comitê Covid O Comitê Extraordinário Covid-19 do Governo Estadual, se reúne semanalmente para avaliar a situação dos municípios mineiros que aderiram ao plano Minas Consciente. A avaliação é feita todas as quartas-feiras e, as novas determinações do Comitê (válidas para todas as cidades do Estado) são publicadas todas às quintas, no período da tarde. A partir disso, o Comitê define a situação das cidades dentro das três “Ondas” do programa; vermelha ( apenas serviços essenciais funcionam), amarela (serviços não essenciais podem funcionar) e verde (serviços não essenciais com alto risco de contágio). Entenda a classificação das ondas nas regiões A reformulação do "Minas Consciente" ocorreu no final de julho após consulta pública. Na ocasião, as macrorregiões Triângulo do Norte e Triângulo do Sul e foram inseridas na "Onda Amarela" e a macrorregião Noroeste e Centro na "Onda Vermelha". A principal mudança foi em relação às ondas, que foram reduzidas para três. Agora, as cores funcionam como um semáforo: Onda Vermelha, quando é permitido abrir somente serviços essenciais; Amarela, quando serviços não essenciais também são autorizados; e Verde, que incluem serviços não essenciais com alto risco de contágio. Confira mais abaixo o que é permitido abrir em cada onda. O Comitê define em qual onda a cidade ficará levando em consideração a incidência da Covid-19 na localidade, na capacidade de atendimento e na velocidade de avanço da doença. Veja abaixo detalhadamente quais serviços podem funcionar em cada categoria, segundo o governo de Minas Gerais. Onda Vermelha As macrorregiões de saúde Triângulo do Norte, Noroeste e Nordeste estão na Onda Vermelha do plano. Nesses locais, está autorizada a abertura dos seguintes serviços: Supermercados, padarias, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência; Bares (somente para delivery ou retirada no balcão); Açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros; Serviços de ambulantes de alimentação; Farmácias, drogarias, lojas de cosméticos, lavanderias, pet shop; Bancos, casas lotéricas, cooperativas de crédito; Vigilância e segurança privada; Serviços de reparo e manutenção; Lojas de informática e aparelhos de comunicação; Hotéis, motéis, campings, alojamentos e pensões; Construção civil e obras de infraestrutura; Comércio de veículos, peças e acessórios automotores. Onda Amarela As macrorregiões de Saúde Centro, Vale do Aço, Jequitinhonha, Leste, Oeste, Sul, Centro-Sul, Sudeste e Leste do Sul apresentaram índices favoráveis para a abertura de serviços não essenciais, contemplados pela onda amarela. Nesta fase, são permitidos: Bares (consumo no local); Autoescola e cursos de pilotagem; Salão de beleza e atividades de estética; Comércio de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo; Papelaria, lojas de livros, discos e revistas; Lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem; Comércio de itens de cama, mesa e banho; Lojas de móveis e lustres; Imobiliárias; Lojas de departamento e duty free; Lojas de brinquedos; Academias (com restrições); Agência de viagem; Clubes; Bibliotecas, museus, galerias, arquivos (com restrições). Parques estaduais, unidades de conservação, zoológicos e jardins (com restrições). Onda Verde As macrorregiões Norte e Triângulo do Sul apresentou um quadro controlado da doença após passar 28 dias na onda amarela, o que permitiu o avanço para a onda verde, que permite a abertura de serviços não essenciais com alto risco de contágio. São eles: Atividades artísticas, como produção teatral, musical e de dança e circo; Cinemas, bibliotecas, museus, arquivos; Parques, zoológicos e jardins; Feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas, bufê; Parques de diversão, discotecas, boliches, sinuca; Bares com entretenimento (shows e espetáculos); Serviços de colocação de piercings e tatuagens.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree