-->

Duas pessoas são presas em Ipatinga por aplicar golpes para sacar FGTS de outras pessoas

16 Setembro 2020

Segundo a Polícia Militar, dupla estava hospedada em hotel no bairro Iguaçu; com eles foram apreendidos mais de R$ 23 mil em espécie, além de 38 chips de celular
utilizados no esquema. Material apreendido com autores em quarto de hotel Polícia Militar/Divulgação Duas pessoas foram presas por estelionato nesta terça-feira (15) em Ipatinga (MG). Segundo a Polícia Militar, eles foram detidos em um hotel no bairro Iguaçu. A dupla realizava golpe para sacar o FGTS de outras pessoas; no momento da prisão foram apreendidos mais de R$ 23 mil com eles. Ainda de acordo com a PM, informações obtidas pelo GAECO apontavam que um indivíduo estaria hospedado no hotel na posse de documentos falsos e provocando prejuízos a comerciantes. Diante disso, a Justiça deferiu mandado de busca e apreensão no local, onde foram encontradas as duas pessoas. No bolso de uma delas foi apreendido R$ 2.775 em espécie, já no quarto foi encontrado mais R$ R$ 20.695,90. Os policiais apreenderam ainda 38 chips de celular da operadora Vivo, entre outros materiais. Os presos confessaram que conseguiram o dinheiro aplicando golpes para sacar FGTS de outras pessoas. Golpe Os autores contaram que pagaram R$ 1.000 para um terceiro indivíduo que conheceram pela internet, e este liberou dez números de CPF de pessoas que tinham direito a sacar R$ 1.045 liberados pelo governo federal. Em seguida, eles conseguiam demais dados dessas pessoas por meio de site na internet e utilizavam essas informações para solicitar o saque do FGTS em aplicativo da Caixa Econômica. O aplicativo pedia uma contrassenha, que era enviada para o número de celular cadastrado pelos autores. Feito o procedimento, o aplicativo liberava um código, com o qual era possível ir à uma agência bancária e sacar o FGTS das vítimas. Cada chip de celular era utilizado para fazer o cadastro e solicitação de saque de uma única vítima, depois o chip era descartado. Prejuízo Conforme a PM, a dupla estava hospedada no hotel desde o dia 10 deste mês. Ao longo dos últimos dias, os autores fizeram compras de bebidas, roupas e celulares caros e ainda frequentaram restaurantes. Por isso, estima-se que o prejuízo causado pela dupla seja muito maior ao valor apreendido durante a prisão. Os presos foram encaminhados para a sede da Polícia Federal em Governador Valadares junto ao material apreendido. Em seguida, foram conduzidos para o presídio de Tarumirim. Veja mais notícias da região em G1 Vales de Minas Gerais.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree