-->

Sob protesto, Câmara de Curitiba aprova alterações no funcionalismo público

18 Novembro 2019

Três manifestantes foram detidos e encaminhados para a Central de Flagrantes, na manhã desta segunda-feira (18); três projetos foram aprovados em primeiro turno pelos vereadores. Vereadores aprovam projetos
em meio a tumulto de servidores Os vereadores da Câmara Municipal de Curitiba aprovaram, na manhã desta segunda-feira (18), três projetos que envolvem alterações no funcionalismo público da capital. A votação foi realizada em primeiro turno e em meio a um protesto de manifestantes, que tentaram invadir o local durante a sessão. A votação dos projetos em segundo turno está marcada para esta terça-feira (19). Três manifestantes foram detidos e encaminhados para a Central de Flagrantes, mas depois foram liberados. A porta de vidro da entrada foi quebrada durante a confusão, e duas pessoas tiveram ferimentos leves. Durante o tumulto, a porta de entrada da Câmara Municipal foi quebrada Amanda Menezes/RPC Os projetos aprovados foram votados em regime de urgência. Um deles oferece reajuste de 3,5%, outro propõe a prorrogação do congelamento dos planos de carreira, e o terceiro texto limita o número de servidores para trabalhar nos sindicatos. Os servidores exigem 10% de aumento, segundo o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais Curitiba (Sismuc). Em nota, a prefeitura disse que, apesar do protesto, o funcionamento das unidades municipais é "praticamente normal". Também por meio de nota, o sindicato disse que a atitude da câmara em aprovar os projetos foi vergonhosa. A nota afirmou ainda que, na tentativa de reprimir a manifestação dos servidores, "a base aliada do prefeito usa a força policial com violência, agressões e spray de pimenta. Dezenas de trabalhadores foram afetados pelo forte efeito do spray e outros estão feridos". Servidores tentam passar por policiais militares para entrar na Câmara de Vereadores de Curitiba Amanda Menezes/ RPC Curitiba Como foi a votação Alguns vereadores da oposição pediram para suspender a sessão, mas o presidente da Casa Sabino Picolo (DEM) deu continuidade à votação. Por volta das 10h20 foi aprovado o projeto da prorrogação da suspensão do plano de carreira. Foram 22 votos favoráveis, nove contra e uma abstenção. Às 11h20, o projeto que limita o número de servidores para trabalhar nos sindicatos foi aprovado com 20 votos. Nove vereadores votaram contra o texto e também houve duas abstenções. O terceiro projeto, que oferece reajuste de 3,5% para categoria, foi aprovado por unanimidade pelos 33 vereadores presentes por volta das 11h50. Os projetos aprovados A proposta de reajuste de 3,5% envolve a remuneração de servidores da ativa, empregados públicos, aposentados, pensionistas, além de funções gratificadas e cargos em comissão. O índice também será aplicado aos agentes públicos contratados por tempo determinado. O outro projeto de lei aprovado prorroga, até 31 de dezembro de 2021, o prazo para suspensão “dos procedimentos de transição da parte especial para a parte permanente do quadro de servidores municipais, mudança de área de atuação, mudança de classe, a implantação dos novos planos de carreira e seus respectivos enquadramentos, entre outros. O terceiro texto que também foi aprovado altera o número de servidores que serão liberados para atividade sindical com remuneração paga pela prefeitura. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.

Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 574 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree