-->

Como funciona o processo de tratamento da água?

18 Novembro 2019

Atuação de Engenheiro Químico é fundamental para garantir qualidade da água doce para consumo humano Foi-se o tempo em que era possível beber a água direto da fonte, sem
nos preocuparmos com relação a sua qualidade. Hoje, de toda a água potável existente no mundo, apenas 3% são doces e nem toda ela é tratada, ou seja: boa parte da água doce não está apta para o consumo humano. Todos nós sabemos que água é vida e podemos até ficar um mês sem comer, entretanto, sem água, nosso corpo suporta apenas entre três e cinco dias de vida. E devido a sua vital importância, o mundo hoje está preocupado com este recurso natural escasso e com a qualidade da água consumida. Nesse contexto, o tratamento da água é fundamental para garantir a saúde da população, seja nas pequenas ou grandes cidades, e esse tratamento passa pelas mãos dos Engenheiros Químicos. Esses profissionais têm um papel extremamente importante para manter a qualidade da água que consumimos. Maura Stenzel é Engenheira Química há 20 anos e há dez trabalha na Companhia de Saneamento do Paraná, a Sanepar. Atualmente Maura atua como coordenadora industrial da empresa em Toledo, no oeste do Estado. A Engenheira Química conta que já passou pelo laboratório de controle de qualidade da água e há cerca de dois anos coordena o trabalho de operação do tratamento da água e esgoto da Sanepar na cidade. “No tratamento da água nós, basicamente, verificamos a dosagem dos produtos químicos utilizados no processo e atuamos nas operações das estações de tratamento, na filtragem e em outras importantes etapas do processo de tratamento da água”, explica. Maura alerta que toda a água precisa ser tratada, inclusive a dos poços artesianos, obedecendo a legislação do Ministério da Saúde. De acordo com o Engenheiro Químico do Crea-PR e Gerente Regional da Sanepar em Cascavel, no oeste do Estado, Renato Bueno, a condição básica de todo Engenheiro Químico é “pegar a água bruta e transformá-la em potável para a sociedade”. Bueno ressalta ainda a importância desse profissional. “Em toda indústria de transformação a função do Engenheiro Químico é de extrema importância para que haja o aprimoramento do processo, de forma que possamos levar saúde à população”, conclui. Sobre a qualidade da água distribuída nos 345 municípios parananenses, o site da Sanepar disponibiliza o relatório anual com todas as informações. Processo de tratamento é feito por Engenheiros Químicos, Biólogos, ou outros profissionais de áreas laboratoriais, que seguem várias etapas. iStock/ Irina Vodneva Como funciona o processo de tratamento da água? Fonte: todamateria.com.br O tratamento é um longo processo de transformação pelo qual a água passa até chegar em condições de uso para abastecer a população, independente da função que terá. Depois de captada nos rios, barragens ou poços, o líquido é levado para a estação de tratamento, onde passa por várias etapas, cuja complexidade depende das impurezas existentes. Todo esse processo é feito por Engenheiros Químicos, Biólogos, ou outros profissionais de áreas laboratoriais, que seguem várias etapas. Oxidação: a primeira etapa do processo é misturar cloro na água para oxidar os metais presentes, principalmente o ferro e o manganês, que se apresentam dissolvidos na água. Coagulação e Floculação: a água é misturada com o sulfato de alumínio, um coagulante que possui propriedades que ajudam a formar flocos gelatinosos, que vai servir para unir as impurezas e facilitar sua remoção. A floculação irá agitar a água, com a ajuda de pás giratórias. Decantação: nessa etapa, a água passa lentamente pelos decantadores, permanecendo assim de duas a três horas. Esse processo facilita que os flocos de impurezas se depositem no fundo do decantador. Filtração: após passar pelos decantadores, a água vai para os filtros onde são retiradas as impurezas que permanecem no líquido. Os filtros são formados por camadas de carvão ativado, que retira o odor e o sabor das substâncias químicas utilizadas, por areia, que filtra as impurezas restantes, e por cascalho, que tem a função de sustentar a areia e o carão. Desinfecção: o cloro é usado para a destruição de micro-organismos presentes na água. A ozonização e a exposição à radiação ultravioleta também podem ser usadas nesse processo. Fluoretação: depois de ser filtrada a água já está potável. Nesta etapa, são adicionados cloro e o flúor para a prevenção de cáries. Correção do pH: nesta etapa, se necessário, é adicionada mais cal hidratada para a correção do pH. Ortopolifosfato de Sódio: é acrescentado na última etapa, para proteger a tubulação contra a corrosão e a oxidação. Após todo esse processo a água está pronta para o consumo humano, permanecendo armazenada em reservatórios fechados e impermeabilizados para então ser distribuída à população. Em toda indústria de transformação, Engenheiro Químico é de extrema importância para aprimoramento do processo, de forma a levar saúde à população. iStock/ maxsattana Você sabia? Nós vivemos num planeta que tem dois terços da superfície cobertos de oceanos de água, mas cerca de 97% é salgada. Restam assim pouco menos de 3% sob a forma de água doce, mas, desse total, mais de 2,5% estão congelados na Antártica, no Ártico e em geleiras, indisponíveis para uso imediato. Por fim, do menos de 0,5% que sobra, grande parte está em aquíferos subterrâneos. Outro dado importante chama a atenção: 1,1 bilhão de habitantes não têm acesso à água tratada e cerca de 1,6 milhão de pessoas morrem no mundo todos os anos em razão de problemas de saúde decorrentes da falta desse recurso, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). E nós brasileiros, quanta água temos? O Brasil possui 12% das reservas de água doce disponíveis no mundo, sendo que a Bacia Amazônica concentra 70% desse volume. O restante é distribuído desigualmente para atender a toda população brasileira. O Nordeste possui menos de 5% das reservas e grande parte da água é subterrânea, com teor de sal acima do limite aceitável para o consumo humano. No site da Agência Nacional da Águas (ANA) está disponível o informe 2018, com a décima edição do Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil. O relatório apresenta dados atualizados com as principais informações e estatísticas sobre a qualidade da água no Brasil, apresentadas no relatório pleno publicado em 2017. Jornalista Geovana Diesel - Crea-PR

Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 292 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree