-->

Quase metade dos gastos em diárias da Assembleia Legislativa do Paraná é do gabinete militar

21 Janeiro 2020

De janeiro a outubro de 2019, foram gastos R$ 328 mil em diárias de viagem, sendo que R$ 150,6 mil corresponderam ao gabinete militar, o que representa 45,9% do
total. Dinheiro usado em diárias por deputados e servidores não precisa de comprovação com notas fiscais AEN/Divulgação Quase metade dos gastos em diárias da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) foi do gabinete militar do Legislativo, composto por policiais que, entre outras funções, escoltam o presidente da Casa em deslocamentos. De janeiro a outubro de 2019, foram gastos R$ 328 mil em diárias de viagem, sendo que R$ 150,6 mil corresponderam ao gabinete militar - o que representa 45,9% do total. Os números são do Portal da Transparência. Assembleia autoriza meias-diárias para cidades onde deputados e servidores têm casa O gabinete militar foi criado por meio de um decreto legislativo, em 2011. Segundo a legislação, o efetivo serve tanto para o policiamento no prédio da Alep quanto para a segurança pessoal e familiar do presidente e, mediante solicitação, do 1º secretário. No comparativo com os gastos de janeiro a outubro de 2018, que foi um ano eleitoral, as despesas em diárias de viagem, de R$ 476,7 mil, foram maiores do que no mesmo período do ano passado. Porém, em 2018, a representatividade dos gastos do gabinete militar foi ainda maior, de 66,3%. Foram gastos em escolta R$ 316,2 mil entre janeiro e outubro de 2018. Esse gasto do gabinete militar quase chegou ao total concedido em diárias - incluindo deputados e servidores - no mesmo período de 2019. Vale lembrar que o dinheiro usado em diárias por deputados e servidores não precisa de comprovação com notas fiscais. Até a noite de segunda-feira (20), os dados referentes aos meses de novembro e dezembro de 2019 ainda não estavam disponíveis no site da Assembleia Legislativa. Também não é possível comparar o primeiro ano da atual legislatura com o mesmo ano da legislatura anterior (em 2015), pois os dados começaram a ser inseridos em julho daquele ano. Em nota, a Alep justificou a redução no gasto total de um para outro devido a uma "gestão eficiente dos recursos" por parte da mesa diretora e informou que "a requisição de diárias segue rigorosamente o que determina a legislação". Diretora de comunicação com diária para 'escolta e segurança aproximada' Apenas uma parte de todos os registros de diárias utilizadas por profissionais do gabinete militar apontam o nome do beneficiário, que deve ser um policial militar cedido e custeado pelo Legislativo. Em um registro de 9 agosto de 2019, constava que a diretora de comunicação da Alep, Kátia Chagas, havia recebido duas diárias, no valor de R$ 801,87, para "serviço de escolta e segurança aproximada de autoridade para Brasília/DF de 23/07/2019 a 24/07/2019". Em nota, o Legislativo informou que se tratava "de um erro do setor técnico responsável por abastecer o Portal da Transparência" e que as "providência para correção de tal equívoco já foram tomadas". Depois do contato da reportagem, a justificativa no portal foi trocada para "reunião no Senado e no Ministério das Comunicações referente a concessão de um canal de TV aberta para a TV Assembleia de 23/07/2019 a 24/07/2019". Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree