-->

Delegado diz que vai pedir prioridade em laudos sobre morte de bailarina perto de cachoeira, no Paraná

27 Janeiro 2020

Corpo de Maria Glória Poltronieri Borges foi encontrado, no domingo (26), na área rural de Mandaguari, no norte do estado. A Polícia Civil investiga o caso. Equipe de homicídios
de Maringá vai ajudar na investigação de morte de bailarina O delegado Zoroastro Nery do Prado Filho, que apura a morte de uma bailarina, de 25 anos, na área rural de Mandaguari, no norte do Paraná, falou sobre o andamento das investigações, nesta segunda-feira (27). "A gente depende do IML e também do laudo de laboratório, em Curitiba, que vai realizar esse exame. Nós vamos pedir um empenho, uma prioridade nesse caso", afirmou ele. O corpo de Maria Glória Poltronieri Borges foi encontrado no domingo (25) perto de uma cachoeira, com sinais de violência sexual, de acordo com a Polícia Civil. Além de bailarina, ela era estudante universitária. Segundo o Instituto-Médico Legal (IML), a jovem foi morta por asfixia. A Polícia Civil de Maringá, no norte do estado, investiga o caso. A polícia também informou que os laudos vão dizer se a bailarina foi estuprada antes de ser morta. Objetos da bailarina também foram recolhidos pela polícia, entre eles as sandálias usadas por ela e o celular que foi deixado no acampamento antes de ir para a trilha. Testemunhas disseram ter visto dois homens suspeitos perto do local do crime. "Várias pessoas comentaram que esses dois indivíduos estavam ali e saíram daquele região do rio por volta de 19h. Então, nós estamos tentando identificá-los", explicou Zoroastro Filho. Objetos da bailarina também foram recolhidos pela polícia Reprodução/RPC Família encontrou o corpo O delegado contou que, no sábado (25), a mãe de Maria Glória a levou até uma chácara que fica perto da cachoeira. A jovem ficou sozinha no local, conforme o delegado. A mãe acabou perdendo o contato com ela e voltou com a família no domingo para procurá-la. Ainda de acordo com o delegado, a irmã encontrou o corpo da bailarina em uma trilha que fica a cerca de 30 metros da cachoeira. O delegado afirmou que está ouvindo pessoas e que, até o momento, não se sabe quem é o autor do crime. "Não podemos descartar nenhuma possibilidade. Assim que possível vamos ouvir os familiares e também pessoas que participaram de um treinamento da Defesa Civil que ocorreu no local no sábado", destacou o delegado. Maria Glória foi encontrada morta em uma trilha Arquivo Pessoal/Família Velório Durante o velório de Maria Glória, amigos lamentaram a morte da bailarina que era destaque no cenário artístico maringaense. "Era uma pessoa extremamente dedicada à dança, às artes cênicas, à vida. Estava sempre cercada de amigos e da natureza. Não conseguimos dimensionar a crueldade deste mundo, como isso pode existir?", questionou um amigo. "É uma dor que não tem explicação. Uma família unida, de mulheres tão fortes. Era uma inspiração de luta pela arte e pela cultura", lamentou outra amiga da bailarina. O corpo da bailarina foi cremado nesta segunda-feira (27). Maria Glória era bailarina e estudante universitária Reprodução/Instagram Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.

Em breve novidade aqui!!!

Usuário(s) Online

Temos 6288 visitantes e Nenhum membro online
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree