-->

Preocupada com o aumento de casos de dengue, Porto Rico decreta situação de emergência e cancela programação de carnaval

16 Fevereiro 2020

Prefeitura decretou situação de emergência na saúde pública por causa da doença. Além de suspender eventos em áreas públicas, decreto também autoriza demolição de imóveis abandonados que tenham muitos
focos do mosquito Aedes Aegypti. Porto Rico, no noroeste do Paraná, é conhecida por atrair turistas que buscam as belezas do Rio Paraná Prefeitura de Porto Rico/Divulgação Com 75 casos confirmados de dengue, a Prefeitura de Porto Rico, no noroeste do Paraná, decretou situação de emergência na saúde pública. Por causa disso, todos os eventos programados para ocorrer nas áreas públicas no município nos próximos três meses serão suspensos. A programação de carnaval foi a primeira a ser cancelada. O decreto vai permitir que a prefeitura execute o Programa Municipal de Combate e Prevenção à Dengue para reduzir o número de focos do mosquito e reforce equipes para atender os doentes. Porto Rico tem 2.561habitantes e recebe centenas de turistas nesta época. Uma das festas cancelada é o “Carnaval Automotivo”, que estava previsto para ser realizado dos dias 22 a 24 de fevereiro. O evento reuniria carros com equipamentos de som potentes às margens do Rio Paraná. A Secretaria Municipal de Turismo informou que o cancelamento evita a aglomeração de pessoas e o acúmulo de lixo pela cidade, o que pode aumentar os focos do mosquito. No feriado de carnaval, restaurantes e bares que ficam na barranca e na prainha funcionarão normalmente. Mosquito transmissor da dengue Agência Estadual de Notícias/Divulgação Decreto Além de proibir comemorações nas áreas públicas municipais, o decreto também determina que a Secretaria Municipal de Saúde poderá comprar bens e contratar obras ou serviços específicos para combater à dengue sem a realização de licitação. O documento deixa claro que o que for contratado deve ser finalizado em no máximo 90 dias. A secretaria também poderá contratar pessoal de forma temporária. Os contratos valerão por 90 dias, podendo ser prorrogador por mais três meses. Os agentes de saúde e servidores municipais convocados para ajudar no combate ao mosquito serão autorizados a entrar em casas fechadas ou abandonadas caso os proprietários não permitam acesso. Os agentes trabalharão das 7h às 18h, serão identificados e estarão acompanhados de policiais. O documento também pontua que a Procuradoria Geral do Município e a Secretaria Municipal de Obras poderão avaliar e respaldar a desapropriação ou demolição de imóveis abandonados que forem apontados como espaços proliferados do mosquito Aedes Aegypti. Dengue no Paraná Na quinta-feira (13), um decreto estadual instituiu estado de alerta no Paraná para o combate e controle do mosquito transmissor da dengue. Conforme o último boletim da Secretaria Estadual de Saúde, atualmente, há 149,53 casos confirmados da doença para cada 100 mil habitantes. Secretaria de Saúde confirma seis novas mortes por dengue no Paraná De agosto de 2019 até o dia 11 de fevereiro, 20 mil pessoas contraíram o vírus no estado, sendo que 13 não resistiram e morreram em decorrência da doença. Dos 399 municípios, 62 enfrentam uma epidemia. No período já foram contabilizadas 65 mil notificações para a doença. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree