-->

Caso Daniel: Defesa pede que medida cautelar seja revista para que Edison Brittes receba visita de filha e esposa na penitenciária

27 Fevereiro 2020

Allana e Cristiana Brittes, também são rés no processo sobre a morte do jogador, foram impedidas pela Justiça de manter qualquer contato com os outros acusados. Edison e Cristiana
Brittes, são réus no processo sobre a morte do jogador Daniel Giuliano Gomes/PRPress A defesa de Allana e Cristiana Brittes, rés no processo sobre a morte do jogador Daniel Freitas, enviou pedido para que a Justiça reveja uma cautelar de proibição e permita que elas façam visitas a Edison Brittes, pai e marido das duas, na penitenciária onde ele está preso. Edison, assassino confesso do jogador, é o único dos sete réus que continua preso. Ele está na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba. O pedido será analisado pela Justiça, que deve decidir se a modificação na cautelar é cabível ou não. Allana e Cristiana chegaram a ser presas, mas tiveram as prisões preventivas substituídas por medidas cautelares, com a condição de "proibição geral de contato, direto ou indireto, com qualquer testemunha e demais partes do processo". No pedido, protocolado nesta quinta-feira (27), a defesa da família Brittes argumenta o direito do Edison a receber "assistência familiar", por parte da esposa e da filha. O jogador Daniel Freitas foi morto em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, em outubro de 2018. Segundo a denúncia do Ministério Público do Paraná (MP-PR), o corpo dele foi encontrado com o órgão sexual mutilado, próximo a uma estrada rural. Jogador Daniel Freitas foi morto em outubro de 2018, em São José dos Pinhais Reprodução/RPC O crime aconteceu depois de uma festa em comemoração ao aniversário de Allana Brittes, que começou em uma casa noturna, em Curitiba, e continuou na casa da família Brittes, em São José dos Pinhais. Segundo a denúncia, Daniel começou a ser agredido na casa da família e, depois, foi morto. Além de Edison, Allana e Cristiana, outras quatro pessoas foram denunciadas e viraram rés por participação no crime. Edison Brittes confessou ter matado o jogador alegando estar sob descontrole emocional, porque, segundo ele, Daniel tentou estuprar Cristiana. A defesa da família de Daniel negou que ele tenha tentado estuprar a esposa do empresário. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.

Em breve novidade aqui!!!

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree