-->

Homem diz que ligou de celular para 190 enquanto casa era assaltada e policial pediu que ligação fosse feita de telefone fixo

04 Junho 2019

Depois do crime, homem pediu à Polícia Militar do Paraná gravações das ligações, mas corporação informou que sistema estava 'inoperante'. Caso aconteceu em Curitiba. Um homem que estava na
rua e foi avisado pela filha que a casa da família estava sendo assaltada disse que ligou para o 190 para chamar a Polícia Militar do Paraná, mas que o policial que atendeu a ocorrência pediu para que um nova chamada fosse feito de um telefone fixo. O caso aconteceu em Curitiba. De acordo com o homem, que pediu para não ser identificado, ele recebeu uma ligação da filha adolescente às 15h52, avisando que a casa tinha sido invadida por assaltantes enquanto ela estava sozinha em casa. "Ela me sussurra e diz 'pai, tem alguém entrando em casa'. Dai me deu uma descarga de adrenalina e falei 'tô indo pra aí'", disse. No caminho de casa, às 15h59, dentro de um taxi, o homem ligou para o 190, que atende emergências da polícia, e ouviu do atendente que precisaria chegar em casa e ligar de um telefone fixo. Homem estava fora de casa e ligou para a PM de um celular, mas atendente pediu para que ele ligasse de telefone fixo. Reprodução/RPC "O cidadão lá do outro lado [da linha] fala que eu tinha que chegar em casa, pegar o telefone fixo e ligar para polícia", afirmou. O homem explicou que não tinha como ligar de um telefone fixo porque ele estava indo para casa, e que os assaltantes estavam dentro do local. "Dai eu falei 'não, moço, eu tô dentro de um táxi, correndo pra casa, porque ladrões invadiram a minha casa com a minha filha dentro, e você quer que eu vá até lá e ligue para vocês do meu telefone fixo?'. Dai que ele se rendeu e registrou o que estava acontecendo", afirmou o homem. Segundo ele, os assaltantes chegaram a encontrar a filha dentro do quarto. Ela foi ameaçada e os assaltantes ordenaram para que ela não olhasse para eles. A menina não foi ferida. De acordo com a vítima, o assalto durou no máximo dez minutos. Nesse tempo, foram levados aparelhos de TV, celulares, joias e dinheiro. Apenas depois que os bandidos foram embora, às 16h10, a polícia ligou para saber o que tinha acontecido. Depois que os assaltantes já tinham saído da casa da vítima, a Central da PM retornou a ligação. Reprodução/RPC "Quando eu saí lá pra fora tocou o telefone novamente, era o mesmo cidadão perguntando onde que eu tava. Eu falei 'to na frente da minha casa'. Passados alguns minutos, daí sim chegou uma viatura da polícia" Fora do ar Depois desse susto, a vítima voltou a procurar a Polícia Militar pedindo a gravação da ligação que fez no dia do assalto. No entanto, não obteve resposta. Um despacho assinado pelo sargento Rodrigo Manrich dos Santos, do Centro de Operações da PM (Copom), afirma que a central de gravações encontra-se inoperante. O que significa que, segundo a polícia, as ligações feitas para o 190 não estão sendo gravadas. "É tudo tão surreal, você não espera viver uma situação dessas", afirmou a vítima. O documento afirma também que está em andamento um processo para aquisição de um novo equipamento. O roubo está sendo investigado pela Polícia Civil que não deu detalhes para não atrapalhar o andamento do caso. O que diz a PM De acordo com o capitão Flávio Barros, do Copom, o áudio da ligação não foi localizado. "Nós recebemos 65% das ligações em telefone móvel e sofremos com esse problema de sinal fraco e ruim. Existe a possibilidade dele ter falado para que ele ligasse de outro telefone ou melhorasse o sinal nesse sentido", afirmou o capitão. O capitão informou que o sistema está passando por uma atualização e não registrou a ligação entre a vítima. Ele informou queque nas próximas semanas um novo equipamento será adquirido para que as gravações voltem a ser registradas. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree